quinta-feira, 29 de maio de 2014

“É a certeza da punição que coíbe a infração no trânsito”

Entre o caótico e violento trânsito do Cairo, no Egito, e o exemplar comportamento dos motoristas de Estocolmo, na Suécia, o Brasil ainda não chegou sequer no meio do caminho. “Estamos avançando na direção certa, mas ainda muito próximos do atraso”, avalia o especialista em comunicação sobre segurança no trânsito João Pedro Corrêa.

João Pedro Corrêa, especialista em comunicação sobre segurança no trânsito e autor do livro Cultura de Segurança no Trânsito
 
Criador do Programa Volvo de Segurança no Trânsito, ele se dedica há mais de 25 anos à causa da segurança viária. Recentemente, J. Pedro lançou em Curitiba o livro Cultura de Segurança no Trânsito – Casos Brasileiros, que reúne iniciativas bem-sucedidas da esfera pública e na iniciativa privada que contribuíram para a criação de um trânsito mais humanizado.
 
Por que, apesar dos bons exemplos mostrados no livro, ainda há tanta violência no trânsito brasileiro?
O ponto fundamental é que nós não temos no Brasil uma cultura de segurança no trânsito. Se formos à raiz das causas, vamos observar que não temos educação básica, ponto. Como não temos educação, não sabemos o que significa civilidade ou convivência pacífica no trânsito.
 
E qual os efeitos práticos da criação dessa cultura em uma sociedade?
O trânsito é o primeiro cartão de visitas de um país, de uma cidade. É naqueles dez minutos iniciais no trânsito que você percebe se aquela é uma sociedade organizada, desenvolvida. Esse nível de desenvolvimento se reflete no desempenho da economia, em termos de produtividade e, principalmente, de qualidade de vida.
 
O Brasil lidera o ranking de países com maior número de mortes no trânsito. O que explica essa letargia?
A sociedade brasileira é tolerante com a tragédia do trânsito. Mas a causa está na falta de prioridade que o governo dá ao trânsito de maneira geral, e a questão da segurança de forma particular. Isso dá uma ideia clara de que o valor vida, o valor da segurança, acaba ficando em segundo plano.
 
Quais os pontos em comum dos casos bem-sucedidos de programas de segurança no trânsito?
É a vontade política. Tanto no setor público quanto na iniciativa privada. É a vontade de quem lidera o processo, de quem determina o padrão de comportamento. Um ponto importante de qualquer programa é instigar a sociedade a dar ideias de como melhorar a segurança e diminuir o número e a severidade dos acidentes. Pagar essas ideias e trabalhar como catalisador e jogá-las de volta para a própria sociedade.
 
A tecnologia é uma aliada para a redução dos índices de mortalidade nas ruas e rodovias do país?
O mundo da segurança no trânsito hoje está baseado em veículos mais inteligentes, estradas mais inteligentes e motoristas mais conscientes e capazes. Os carros já conversam entre si, mas as pessoas estão cada vez mais distantes uma das outras.
 
Qual o papel do poder público e da fiscalização neste processo?
Só educação não adianta. Se um cidadão não segue as regras, quem respeita as leis pode pagar com a própria vida. Na Suécia, se o guarda da esquina pega alguém dirigindo bêbado, as consequências são severas – não importa se é motorista é gerente da Volvo ou um deputado. Não tem jeitinho. É a certeza da punição que coíbe a infração no trânsito. Já no Brasil, há sempre a possibilidade da conversa, da amarração. Pela certeza de que um advogado bom pode empurrar isso indefinidamente na Justiça. A raiz do problema está podre. É um ponto que precisa ser tocado, enfrentado de forma coletiva.
 
As campanhas de blitze na lei seca ajudam a mostrar o caminho?
Em partes. No início, a campanha deu certo, mas foi só o governo reduzir o número de blitze que muito motorista já perdeu o medo de beber e dirigir. Se ao invés de três, o governo fizer dez blitze por dia, os índices vão reduzir drasticamente. Não há a menor dúvida. Se o governo quiser de verdade e fizer investimento em fiscalização e punir, os índices vão cair drasticamente.

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1404153&tit=-a-certeza-da-punicao-que-coibe-a-infracao-no-transito

ASSOCIAÇÃO RUMOS - QUEM SOMOS

A Associação Rumos foi fundada em 16 de Agosto de 1986, na cidade de Brasília, Distrito Federal, para congregar os padres, oriundos do clero da Igreja Católica Romana no Brasil, que deixaram o exercício do ministério sacerdotal para casar. É uma sociedade civil de direito privado, de âmbito nacional, com finalidades assistenciais, filantrópicas, culturais e educacionais, sem fins lucrativos, com sede e foro em Brasília.
 
Representa os mais de cinco mil padres casados do Brasil e suas famílias, que formam o Movimento das Famílias dos Padres Casados (MFPC). A Associação Rumos foi criada para servir ao MFPC como personalidade jurídica, estrutura e objetivos determinados, de acordo com as exigências legais do país.
 
Sendo assim, a Associação Rumos tem como objetivo ser o suporte jurídico e financeiro do Movimento das Famílias dos Padres Casados – MFPC, além de promover a mútua ajuda entre os associados, contribuindo para a sua realização pessoal, familiar, profissional e religiosa, cultivando a amizade entre os padres egressos do ministério e suas famílias.
 
Buscamos o diálogo com as instituições, Organismos Religiosos e Sociais, dentro de uma perspectiva ecumênica. Não somos um grupo de contestação contra a Igreja Católica Romana ou qualquer autoridade eclesiástica.
 
Lutamos pelo reconhecimento do ministério dos padres casados, implantação do celibato opcional na Igreja Católica Romana e valorização do papel da mulher na Igreja.
 
Incentivamos a prática pastoral em novas e múltiplas formas de ministério, respeitando-se as diversas opções tomadas pelos padres casados no seu novo caminho de serviço a Deus e aos irmãos. O fato de terem deixado o sacerdócio ministerial na Igreja Romana, não tem impedido que inúmeros padres casados continuem a exercer variadas formas de atividades pastorais nas comunidades em que vivem. Alguns desses sacerdotes casados, inclusive, optaram pelo exercício pleno do ministério presbiteral em outras igrejas cristãs.
 
 
A Associação Rumos e o Movimento das Famílias dos Padres Casados – MFPC – promovem, a cada dois anos e em diversas cidades do Brasil, encontros nacionais para eleição da sua diretoria e estabelecimento de novas diretrizes, além de alegre convívio fraterno entre nossas famílias. Publicamos também, bimestralmente, o JORNAL RUMOS.
 
 

Nasa: descoberto primeiro exoplaneta habitável do tamanho da Terra

Cientistas descobriram o primeiro planeta fora do Sistema Solar de tamanho semelhante ao da Terra e onde pode existir água em estado líquido, o que o torna habitável.
 
 
Desenho divulgado pela Nasa mostra o Kepler-186f, o primeiro exoplaneta do tamanho da Terra encontrado na zona habitável de outra estrela.
 
A descoberta reforça a possibilidade de encontrar planetas similares à Terra na nossa galáxia, a Via Láctea, segundo uma equipe internacional de astrônomos liderada por um profissional da Nasa. O trabalho foi publicado na edição desta quinta-feira da revista científica americana Science.
 
"É o primeiro exoplaneta do tamanho da Terra encontrado na zona habitável de outra estrela", destaca Elisa Quintana, astrônoma do centro de pesquisas Ames, da Nasa, que ficou à frente da pesquisa.
"O que torna esta descoberta algo particularmente interessante é que este planeta, batizado de Kepler-186f, tem o tamanho terrestre e está em órbita ao redor de uma estrela classificada como anã, menor e menos quente do que o sol, na zona temperada onde a água pode ser líquida", afirmou.
 
Considera-se que esta zona seja habitável poque a vida como a conhecemos tem possibilidades de se desenvolver naquele ambiente, segundo os pesquisadores.
 
Para Fred Adams, professor de Física e Astronomia da Universidade de Michigan, "trata-de de um passo importante na busca para descobrir um exoplaneta idêntico à Terra".
 
Nos últimos vinte anos foram detectados cerca de 1.800 exoplanetas, dos quais cerca de vinte orbitam ao redor de sua estrela em uma zona habitável. Mas esses planetas são muito maiores do que a Terra e, por isso, é difícil, devido ao seu tamanho, determinar se são de composição gasosa ou rochosa.

- A 490 anos-luz do Sol -
Segundo modelos teóricos sobre a formação planetária, estabelecidos a partir de observações, os planetas que têm raio 1,5 vez inferior ao da Terra têm poucas chances, por causa do seu tamanho, de acumular uma atmosfera espessa como os planetas gasosos gigantes do nosso sistema solar.
 
"Nestes anos aprendemos que há uma transição líquida entre os exoplanetas cujo raio é 1,5 vez o da Terra", explica Stephen Kane, um astronauta da Universidade de San Francisco, co-autor da descoberta.
 
"Quando o raio é entre 1,5 e 2 vezes o do raio terrestre, os planetas são grandes o suficiente para acumular uma atmosfera espessa de hidrogênio e hélio", acrescentou.
 
O exoplaneta Kepler-186f tem raio 1,1 vez maior do que o da Terra e entra na categoria de planetas rochosos do nosso Sistema Solar, como Terra, Marte e Vênus.
 
"Levando em conta o pequeno tamanho do planeta, tem grandes possibilidades de ser rochoso e ter uma atmosfera. Se essa atmosfera oferecer boas condições, a água pode existir em estado líquido na superfície", explica à AFP Emelie Bolmont, pesquisadora da Universidade de Bordeaux, França, que participou da descoberta.
 
Bolmot acrescentou que, para se ter certeza de que é realmente rochoso, "seria preciso obter a massa do planeta, o que não é possível com os instrumentos atuais".
 
O Kepler-186f está em um sistema estelar situado a 490 anos-luz do Sol (um ano luz = 9,46 trilhões de quilômetros) e conta com outros cinco planetas, todos de tamanho parecido com o da Terra, mas situados fora da zona habitável.
 
Em novembro de 2013, os astrônomos consideraram que existem bilhões de planetas de tamanho terrestre potencialmente habitáveis. Essa conclusão se baseia nas observações do telescópio espacial Kepler, lançado em 2009 para esquadrinhar mais de 100 mil planetas similares ao nosso e situados nas constelações de Cisne e Lira. 
 

Pedofilia vira crime hediondo

A Câmara dos Deputados aprovou ontem dois projetos de lei importantes para o combate à violência. Um deles torna hediondos os crimes envolvendo exploração sexual de menores de idade, prostituição infantil e pedofilia. As penas passariam de 4 a 10 anos de reclusão para 5 a 12 anos, além de multa.
 


O projeto também amplia as condutas tipificadas, abrangendo o aliciamento, agenciamento e a indução da criança ou adolescente à exploração ou prostituição. Responsáveis pelos locais onde o fato ocorrer, como proprietários e gerentes, também responderão pelo mesmo crime, assim como clientes conscientes da situação.

A proposta define a pedofilia como conduta de quem se aproveita sexualmente, de forma consumada ou não, de menores. O projeto ainda passará pelo Senado. A outra matéria aprovada tipifica a participação em organizações criminosas, já que a legislação atual trata a questão como delito.

Pelo texto, passa a ser crime a associação de quatro ou mais pessoas, estruturalmente ordenadas pela divisão de tarefas com o objetivo de obter vantagens por meio da prática de delitos para os quais a pena seja superior a 4 anos.
 

A pena para participação em organizações criminosas, pelo projeto, é de 3 a 8 anos, podendo ser aumentada para até 13 anos e 4 meses caso haja participação de menores de idade ou de funcionários públicos.

Outra inovação é a regulamentação da infiltração policial e da ação controlada. “Quando a polícia deixa de bloquear um caminhão com drogas, por exemplo, para chegar ao ponto de carregamento”, explica Marivaldo Pereira, secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça.



 
 
 

Aborto entra para a lista de procedimentos do SUS

São Paulo – Governo pagará R$ 443 para cada cirurgia, que continua exclusiva para casos de estupro, para fetos anencéfalos ou gravidez de alto risco
 
Ministério da Saúde incluiu na lista de procedimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a cirurgia para interrupção da gravidez.
 
Centro cirúrgico: SUS terá que oferecer interrupção de gravidez gratuita em casos legais
 
O procedimento gratuito já estava previsto por lei, mas possuia outra nomenclatura. Além disso, não havia regulamentação para determinar o valor específico do repasse do governo para os hospitais, que agora está definido em R$ 443,30 para cada cirurgia.
No Brasil, o aborto é permitido para vítimas de violência sexual, quando é comprovado que o feto é anencéfalo ou quando a gravidez for de alto risco para a saúde da mulher.
 
A portaria publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União complementa a lei sancionada em agosto do ano passado pela presidente Dilma Rousseff, que dispõe sobre o atendimento das vítimas de violência sexual na rede pública.
 
Podem solicitar o atendimento mulheres de 9 a 60 anos de idade, que apresentarem o Cartão Nacional da Saúde (CNS). A resolução do Ministério da Saúde também prevê o direito a um acompanhante durante a internação.
 
*Matéria atualizada às 14h38 para correção. Segundo o Ministério da Saúde, os hospitais já eram obrigados a prestar atendimento gratuito nesses casos, mesmo antes da portaria.
 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Sete Lagoas, um futuro preocupante


Há muitas formas de retribuir.....
.a ingratidão é a pior delas...
Sete Lagoas apresenta um futuro preocupante quando o assunto é a disponibilidade hídrica. Já existem bairros com falta de água constante, e a demanda, devido ao aumento da população, já preocupa as autoridades. Uma das alternativas mais cotadas é trazer diretamente do Rio das Velhas, água, que será tratada e distribuída em toda a cidade.
 

 Córrego do Diogo: principal poluidor do Ribeirão Jequitibá, que deságua... no Rio das Velhas.
Nas setas em destaque: poluição lançada no curso d’água.

         Um projeto audacioso e multimilionário, que alguns dizem ser a solução dos nossos problemas. Por trás dessa maravilha, os setelagoanos se esquecem da retribuição ingrata que a cidade faz ao Rio das Velhas.
            O rio recebe diariamente uma quantidade enorme de esgoto doméstico e industrial de Sete Lagoas, a mesma cidade que pretende retirar em um ponto mais acima e evidentemente mais limpo, sua água.
 

Encontro dos Córregos do Diogo e Várzea. Nas setas em vermelho, poluição e até um cavalo no leito poluído. Ao lado, recorte do Google Mapas que detalha o encontro dos dois córregos, ambos com poluição exorbitante.

            Uma retribuição um tanto quanto ingrata e indigna. Sete Lagoa ainda é uma cidade que não trata as águas que são lançadas no ribeirão Jequitibá, que desagua posteriormente no Rio das Velhas, sendo portanto, uma das cidades que mais polui o mesmo. Seria justo, e de valor moral, que a cidade que almeja o bem natural que o rio fornece, retribuísse de forma também moralmente correta e digna. Além de não poluir suas águas, a cidade poderia usar sua influência regional e abraçar a causa da preservação do Rio das Velhas com uma política que ultrapassasse fronteiras.

 
 

 Córrego da Várzea: no bairro de mesmo nome, esse córrego apresenta poluição intensa e lixo lançado pelos moradores, como aponta as setas em destaque.

            Entretanto, estamos estagnados. Esquecemos de nossas responsabilidades e nada está sendo feito para consertar o estrago de décadas de omissão.
Não. A responsabilidade não é só dos governantes. A população pode minimizar o estrago sendo educada e não jogando lixo nas ruas e córregos que cortam a cidade. Das ruas para os bueiros, dos bueiros para os córregos e dos córregos para o rio... Trajeto do lixo originário da falta de educação das pessoas e que pode ser evitado.

 

Lixo jogado por transeuntes na Rua Coronel Américo Teixeira Guimarães, e acumulado no fundo do bueiro. 
Local a menos de 50m do Córrego do Diogo – Sete Lagoas/MG
 

Enfim, um conjunto de fatores atestam nosso estado vergonhoso frente a situação. Um misto de incompetência, inércia e inconseqüência que resultam em conseqüências drásticas e nesse aspecto, nos mostra a face ingrata e desrespeitosa da cidade com o rio e sua biodiversidade.

Texto e *Imagens: Saulo Junior

Saulo Junior é Sênior DeMolay e Estudante Pré-Universitário

 *Última imagem: Google Mapas

Saneamento Básico - Conceitos

CONCEITOS
 
É o controle de todos os fatores do meio físico do homem que podem prejudicar a sua saúde.
 
OMS: É o controle de todos os fatores do meio físico do homem que exercem efeito deletério sobre seu bem estar físico, mental ou social.
 
SAÚDE: É o estado de completo bem estar físico, mental e social e não simplesmente a ausência de enfermidades.
 
SAÚDE PÚBLICA: Ciência de promover, recuperar e proteger a saúde da população.
IMPORTÂNCIA DO SANEAMENTO BÁSICO
Indispensável para a manutenção da saúde humana.
A implantação dos sistemas públicos de abastecimento de água, esgotamento sanitário e destino adequado do lixo traz uma rápida e sensível melhoria na saúde e condições de vida de uma população.
 
 Como exemplo, podemos citar:
Controle e prevenção de doenças;
Promoção de hábitos higiênicos;
Desenvolvimento de esportes;
Melhoria da limpeza pública;
Manutenção de praças e jardins;
Combate a incêndios;
Combate aos vetores.
 
ÁGUA
Recurso natural, indispensável à vida. (cerca de 70% do corpo humano é constituído de água).
 
No globo terrestre apenas 1% da água está disponível para consumo humano, os 99% restantes estão sob forma de geleiras (2%), oceanos e mares (97%).
 
A água é importante sob o ponto de vista de:
Quantidade;
Qualidade;

Impurezas da água:
Origem física: relacionadas com a cor, turbidez, sabor, odor e temperatura.
 
Origem química: presença de sais, cloretos, fluoretos, metais pesados e outros compostos químicos.
 
Origem biológica: presença de microorganismos como bactérias, vírus, protozoários e vermes causadores de doenças no homem.
 
POLUIÇÃO DA ÁGUA
Água de poços e nascentes:
Cuidados com relação à proximidade de poços e nascentes com fossas e cursos de água contaminados.
 
desequilíbrios ecológicos:
Consumo bioquímico de oxigênio;
Contaminação por produtos químicos;
Aspecto da água:
Turvo;
Límpido.
 
Autodepuração:
É o processo de transformação dos esgotos e resíduos orgânicos que são lançados nos cursos de água resultando na formação de pequenas quantidades de sais minerais dissolvidos na água. Podemos dizer que é um processo natural de depuração que depende do volume da carga poluidora, do espaço de tempo e da extensão do rio, fazendo com que as águas voltem às suas características naturais.
ESGOTO
É a água que contém dejetos produzidos pelo homem. Também chamado de água servida.
 
O esgoto vem das pias e banheiros das residências, restaurantes, escritórios e fábricas.
 
A maior parte dos esgotos contém produtos químicos nocivos e bactérias causadoras de doenças.
 
Esgotos - rios, córregos, ribeirões, oceanos.
Ideal - tratamento antes de ser lançado na água
Não tratado tem odor e aparência desagradáveis e mata peixes, plantas aquáticas, etc.
Contaminação:
Química; Biológica.
Sistemas coletores sanitários:
Urbano;
Rural.
 
Fossa Séptica - é um tanque de concreto ou aço, enterrado e exclusivo de cada casa ou prédio.
 
Quando enche, deve ser limpa através de bombeamento, ou então depositado seu conteúdo em locais afastados de núcleos habitacionais e dos mananciais de abastecimento, para evitar contaminação.
 
O LIXO DOMÉSTICO
São resíduos sólidos de origem:
Doméstica;
Industrial;
Hospitalar;
Aterro sanitário;
Usina de reciclagem e compostagem.
Classificação dos aterros:
Lixões - céu aberto, não existindo qualquer tipo de cobertura, expondo a população a sérios riscos de saúde, com a disseminação de doenças e poluição do meio ambiente.
 
Aterros comuns - menor risco porque periodicamente se faz cobertura com material inerte.
 
Aterros sanitários - unidade de tratamento de lixo mais eficiente. Para sua implantação são considerados vários parâmetros ambientais: características do solo, profundidade do lençol freático, distância dos centros urbanos.
 
Coleta: Introdução de processos de redução da quantidade de resíduos coletados:
Projetos educacionais
Coleta seletiva
Reciclagem e reaproveitamento dos resíduos - a reciclagem deve ser feita na própria fonte geradora (plásticos, vidros, metais, papel, etc.)
A HIGIENE É O MELHOR REMÉDIO
Usar água fervida para beber, preparar alimentos, escovar os dentes e lavar a boca. A água para beber deve ser conservada em recipiente limpo e com tampa.
 
Evitar o consumo de alimentos duvidosos quanto à higiene em seu preparo.
 
Lavar as mãos com água e sabão antes de preparar os alimentos, antes de comer, depois de usar o banheiro.
 
Lavar bem todos os alimentos antes do preparo e principalmente se forem consumidos crus.
 
Guardar os alimentos em refrigeradores, armários ou outros locais de proteção para que não fiquem expostos a insetos e poeiras.
 
Somente defecar em instalações sanitárias. Na impossibilidade, enterrar as fezes.
 
As roupas de doentes devem ser lavadas separadamente e desinfetadas.
 
Comer somente carne bem passada e sabidamente inspecionada.
Manter limpa a casa e o terreno ao redor, evitando a presença de moscas e outros insetos, roedores, e animais perigosos.
 
Conservar as mãos sempre limpas, as unhas aparadas e evitar colocar a mão na boca.
 
Não deixar as crianças brincarem em terrenos baldios, com lixo ou em água poluída.
 
Andar sempre com os pés calçados.
Procurar periodicamente um médico ou posto de saúde.
HISTÓRICO
No antigo Egito, há aproximadamente 3.500 anos já era utilizada uma espécie de creme dental, na verdade uma mistura feita com pedra triturada e vinagre.
 
O sabão é conhecido há mais de 2600 anos. Habitantes da Fenícia, região que corresponde hoje a uma parte do Oriente Médio Tomavam banho com uma pasta feita com banha de cabra fervida com cinza de madeira.
 
Menos da metade da população do Brasil usa sabonete. A média é de 24 sabonetes por ano. Em alguns países europeus, a média é apenas 4 sabonetes anualmente.
O que é Saneamento Básico?
É o controle de todos os fatores do Meio Físico do Homem que podem prejudicar a sua saúde.
É a solução dos problemas relacionados estritamente com o abastecimento de água, disposição dos esgotos e do lixo das comunidades humanas.
Segundo a OMS : "É o controle de todos os fatores do meio físico do Homem que exercem efeito deletério (prejudicial) sobre seu bem estar físico, mental ou social".
SAÚDE: é o Estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não somente a ausência de doenças.
SAÚDE PÚBLICA: Ciência de promover, recuperar e proteger a saúde da população.
Importância do Saneamento Básico
É indispensável para a manutenção da saúde humana.
A implantação de sistemas públicos de abastecimento de água traz uma rápida e sensível melhoria na saúde e condições de vida de uma população. Como exemplos podemos citar:
* Controle e prevenção de doenças;
* Promoção de hábitos higiênicos (como asseio corporal, por exemplo);
* Desenvolvimento de esportes, como a natação;
* Melhoria da limpeza pública;
* Manutenção de praças e jardins;
* Combate a incêndios, etc.;
* Combate aos vetores de doenças infecciosas.
Além do tratamento de água também deverá se fazer presente o sistema de esgotamento sanitário, composto pelas redes coletoras de esgoto, estações de tratamento de esgoto, coleta regular de lixo, aterros sanitários ou usinas de lixo, etc.
Segundo dados do JB de 05/03/93:
- "Para se acabar com a epidemia de cólera , seria necessário investir US$15 bilhões em Saneamento básico nos próximos 10 anos"...

A ÁGUA:
A água como o ar é um recurso natural, presente em toda a biosfera (solo ar, seres vivos, etc.). Indispensável ã vida, pode se tornar prejudicial quando não tratada devidamente. Daí ser a qualidade da água tão importante quanto a sua quantidade.
O homem inadvertidamente, vem poluindo as águas, contribuindo para o surgimento de muitas alterações nos recursos hídricos, provocando a destruição total ou parcial da vida ali existente. Pela intensidade poluidora, podemos destacar alguns tipos de poluição hídrica: natural, termal, esgotos, industrial e por agrotóxicos.
A qualidade dos Recursos Hídricos não é responsabilidade exclusiva dos poderes públicos; devemos nos organizar em comunidades; para defender, conservar e desfrutar de um ambiente saudável.
Dados da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental atestam que o Brasil gasta anualmente cerca de R$2,5 bilhões no tratamento de doenças causadas pela falta de Saneamento Básico. Se todo esse dinheiro fosse gasto com obras para melhoria do Sistema de água, lixo e esgoto, cujas condições atuais são responsáveis por 80 % de doenças que afetam a população brasileira, certamente o Brasil estaria mais perto do primeiro mundo.
Na realidade, não se encontra na natureza água totalmente pura. Ela sempre contém impurezas que podem ser de origem física, química ou biológica. Os manuais definem como água potável, aquela que apresenta impurezas abaixo dos valores máximos permitidos, não causando malefícios ao homem - boletim de análises.
As impurezas de natureza física estão relacionadas a cor, turbidez, sabor, odor e temperatura.
As impurezas químicas resultam da presença de sais, cloretos, fluoretos, metais pesados e outros compostos químicos.
As impurezas biológicas são microorganismos como bactérias, vírus, protozoários e vermes, que podem causar uma variada gama de doenças.
 
Poluição da Água:
Os povos primitivos associaram a idéia de águas sujas com a transmissão de doenças. Eles observaram que, em época de chuva, quando as águas se tornavam barrentas, ocorriam epidemias de febre tifóide e outras doenças nas populações que bebiam essas águas. Atualmente, essa coincidência entre o mau aspecto das águas e a transmissão de doenças nem sempre ocorre, pois os esgotos vão para os rios, através de tubulações, independentemente das chuvas. Assim sendo, as águas podem ser turvas sem conter patogênicos ou podem ser contaminados por patogênicos sem ficarem turvas (quando a quantidade de esgoto é pequena em relação ao volume da água do rio).
 
A falsa idéia de que somente as águas com alterações do sabor a da sua qualidade estética podem transmitir doenças pode Ter, ás vezes, graves conseqüências. Muitas pessoas preferem, por exemplo, beber água cristalina e nascentes ou de poços em lugar de torneira que é tratada e distribuída pelos serviços públicos.
 
Freqüentemente, entretanto, a água dos poços e nascentes é contaminada pela proximidade de fossas e lançamentos de esgotos. A contaminação se dá por infiltração através do solo, de tal maneira que as partículas em suspensão ( causadoras de turbidez ) ficam retidas neste, enquanto que as bactérias e vírus, por serem muito menores, atravessam o solo atingido a água do poço ou da nascente que, embora "limpa" passará a transmitir doenças.
 
Além do aspecto estético de doenças, a poluição pode causar também desequilíbrios ecológicos. Geralmente isso ocorre quando são lançadas ao rio grandes quantidades de resíduos orgânicos. A matéria orgânica é geralmente biodegradável seja ela proveniente de esgotos, ou qualquer outra origem, como restos de alimentos ou produtos industriais (açúcar por exemplo). Sendo biodegradável, ela pode ser utilizada como alimento pelos microorganismos decompositores da água (bactérias, fungos e outros seres saprófitos que vivem e proliferam normalmente nas áreas). Quanto maior for a quantidade de matéria orgânica lançada à água, maior o número de microorganismos que aí se desenvolverão. Esses microorganismos respiram, consumindo o oxigênio dissolvido na água. Assim sendo, quanto maior a quantidade de matéria biodegradável, maior o número de decompositores e maior o consumo de oxigênio.
 
Como a água constitui um ambiente pobre em oxigênio (por causa da baixa solubilidade deste) esse excessivo consumo respiratório pode causar a extinção de todo o oxigênio dissolvido. O que ocasiona a conseqüente morte dos peixes e outros seres aeróbicos.
O principal aspecto a merecer a nossa atenção é que a morte dos peixes neste caso, não é provocada pela presença de tóxicos ou de qualquer substância nociva, mas sim pelo excesso de alimentos no meio. Uma usina de açúcar pode poluir um rio por lançar nele nada mais do que açúcar.
 
Trata-se, pois. De um desequilíbrio ecológico e não de um envenenamento das águas e esta é a causa mais freqüente de morte de rios poluídos.
 
Esse tipo de poluição não é nociva ao homem, diretamente, pois este não faz parte dos ecossistemas aquáticos. Apenas os organismos que respiram dentro do ambiente líquido são afetados. Indiretamente, entretanto, o homem é prejudicado, seja pelo desaparecimento dos peixes que constituem uma importante fonte de alimento protéico, seja pelas dificuldades que a poluição em geral pode provocar em relação ao tratamento da água para abastecimento.
 
Autodepuração dos Cursos D´Água:
Os esgotos e resíduos orgânicos que são lançados a um rio vão pouco a pouco, sofrendo um processo de transformação ou estabilização, da qual resulta a formação de pequenas quantidades de sais minerais dissolvidos na água. Diz-se, pois, que o rio, depois de poluído, sofre um processo de autodepuração, mediante o qual ele volta às suas características iniciais de águas limpas.
 
Além da estabilização dos compostos orgânicos, (ou seja, transformação de compostos instáveis em estáveis, que não mais se transformam), e de recuperação do oxigênio que foi consumido, a autodepuração compreende, também, a destruição dos organismos patogênicos que foram introduzidos no rio juntamente com os esgotos. Como vimos anteriormente, tais organismos, na água encontram-se em um ambiente desfavorável à sua sobrevivência. Vários são os fatores que concorrem para a sua destruição. Entre estes, devem ser destacados:
 
*Os raios ultra violeta da luz solar; a presença de microorganismos aquáticos que se alimentam de bactérias; a tendência a precipitação, geralmente na forma de flocos gelatinosos que vão ao fundo; as variações de temperatura e a presença de oxigênio no ambiente.
A água que uma cidade bebe precisa ter boa qualidade; precisa ser conhecida nos vários caminhos por onde passa chegar á torneira de uma residência ou uma indústria.
 
O Aspecto Turvo da Água não significa necessariamente contaminação.
 
O homem desde épocas imemoriais, sempre teve uma grande preocupação com respeito ao aspecto ao aspecto estético das águas que bebe. Antigas civilizações há milênios já empregam métodos de filtração ou decantação para remover a turbidez provocada por partículas em sus pensão da água.
 
O que realmente causa dano á saúde humana ou de animais que bebem a água poluída, são as substâncias tóxicas (venenos) e microorganismos patogênicos que ela pode conter. Ambos, porém, são invisíveis a olho nu, não alterando as características estéticas da água.
Veiculação Hídrica de Organismos Patogênicos
Microorganismos patogênicos não se reproduzem nem vivem por muito tempo nas águas. Nelas são, encontradas porque foram introduzidos através dos esgotos ou resíduos que contenham fezes humanas de pessoas doentes, pois o ambiente favorável à vida é a proliferação desses seres é o próprio corpo humano. Uma vez expelidos para o ambiente externo, solo ou água, eles geralmente vivem pouco tempo, embora o suficiente, muitas vezes para que sejam ingeridos por outra pessoas que se tornará assim contaminada, adquirindo doença provocada por eles.
 
Quando não existem sistemas adequados de afastamento de esgotos e dejetos estes são lançados ao solo, nas imediações das casas de moradia. As águas de chuvas, lavando a superfície, transportam esses resíduos para os rios juntamente com partículas de terra e outros detritos. Dessa forma, as águas dos rios além de ficarem turvas por causa da terra, ficam também contaminadas com dejetos e com microorganismos pataog6enicos procedentes de pessoas doentes.
 
 
Nessas condições as águas passam a veicular bactérias, protozoários, ovos e formas imaturas de vermes nocivos ao homem e a outros animais.
As Doenças de Transmissão Hídrica
A Água atua como veículo do agente infeccioso.
As Doenças de Origem Hídrica
 
São decorrentes de contaminantes tóxicos eventualmente presentes na água.
 
Principais agentes e doenças causadas por eles:
Vírus: Poliomielite, Hepatite Infecciosa.
Bactérias: Febre Tifóide, Desinteria Bacilar, Leptospirose, Cólera, Gastroenterites, etc.
Protozoários : Desinteria Amebiana, Giardíase, etc.
 
Cólera:
A Doença: O bacilo Víbrio Cholerae instala-se nas paredes do intestino Delgado produz substâncias tóxicas, as enterotoxinas. Ao multiplicar-se, o Vibrião provoca intensa diarréia. Nos casos graves, pode ocorrer a perda de 10 a 20 litros de água por dia em condições normais, o organismo perde e, em seguida, recupera cerca de 2,5 litros de água por dia.
 

A Contaminação: Ocorre através da ingestão de água ou alimentos, inclusive frutos do mar, contaminados. O vibrião colérico atinge a água por meio de fezes humanas, vômitos ou dejetos portadores do bacilo. Até mesmo insetos que pousam em fezes infectadas podem contaminar os alimentos. Os indivíduos são mais afetados onde é freqüente a falta de água e esgoto.
 
A prevenção: Os epidemiologistas recomendam a fervura da água e o tratamento com cloro. O leite deve ser fervido, e os alimentos crus, como peixes ou frutos do mar, devem ser rigorosamente evitados. A organização Mundial da Saúde não recomenda o uso da vacina anticólera por causa da sua baixa eficácia. Confere imunidade a apenas 50% dos vacinados.



Ópio do povo: O FUTEBOL.

Vamos falar do estádio mais caro da Copa: Mané Guarrincha em Brasília.
 
Capacidade: 70 mil pessoas
 
Estrutura: 
  • instalação de um sistema de broad-casting (equipamento de telecomunicação);
  • um túnel de 300 metros que ligará o estádio a um centro de convenções;
  • estacionamentos;
  • um heliponto;
  • obras de urbanização e paisagismo;
  • equipamentos de comunicação visual;
  • sistema de iluminação;
  • complexo viário; 
  • drenagens nas áreas externas;
  • cobertura retrátil.
Recursos: totalmente do Distrito Federal.

Custo da obra: R$ 890 milhões. Sendo que a construção do túnel, estacionamento, heliponto, sistema de transmissão, gramado, arquibancadas, sistema de drenagem, iluminação e projeto paisagístico da área externa, estão com os orçamentos indefinidos. Ou seja, o custo vai com certeza passar de 1 bilhão de reais.
 
Maiores clubes de Brasília: Brasiliense (está disputando a terceira divisão do campeonato brasileiro) e o Gama (está na quarta divisão do campeonato brasileiro).
 
Média de público do campeonato brasiliense em 2011: 1984,9 pessoas por partida
 
Curiosidade: Brasília disputou com São Paulo, a vaga para ser a sede da abertura da Copa. Essa possibilidade, sustentava a alegação para construção de um estádio para 70 mil pessoas na capital nacional, deixando aberta a alternativa de diminuir a capacidade para 40 mil pessoas, se Brasília perdesse a disputa para a capital paulista. Resultado: Brasília perdeu. Consequência: o Mané Guarrincha terá 70 mil pessoas.
 
Explicação do governador do DF: "Brasília tem uma das maiores rendas per capita do país, é um museu a céu aberto das obras de Oscar Niemeyer e tem vocação para o turismo".
 
Mas deixa isso para lá, vamos falar de coisas importantes. O problema não é o Mané Guarrincha, o Maracanã, Mineirão, Vivaldão de Manaus, Arena das Dunas em Natal, etc. O problema do Brasil é o Itaquerão, estádio do Corinthians.
 

Para a opinião pública o estádio corintiano será construído com dinheiro público, e isso é a maior falcatrua da história da nação brasileira.
 
Arrazoemos:

  1. "O terreno para o estádio do Corinthians foi cedido pela prefeitura de São Paulo ao clube na década de 80." - Essa prática é natural em quase todas as prefeituras do país, que doam terrenos para a abertura de empresas, clubes esportivos, projetos sociais, igrejas, etc., com intuito de promover progresso em uma determinada região da cidade, que possua no momento, um cenário de pouco desenvolvimento. Exemplos de estádios beneficiados pelos municípios: Morumbi, Parque Antartica, Canindé, Vila Belmiro, etc.
  2. "O BNDES está dando dinheiro para o Corinthians construir o estádio." - Essa é mais uma das criticas. O BNDES é um banco, e por ser um banco, faz empréstimos para empresas, clubes, outros bancos, etc. O Corinthians conseguiu um empréstimo do BNDES, assim como todos os outros estádios da Copa. Vai pagar o dinheiro, com juros. Tem fiador, avalista e deu garantias, como qualquer outra instituição. Não tem nada de irregular nesta operação.
  3. "A Prefeitura deu dinheiro para o Corinthians, através de incentivos fiscais." - Outra alegação massiça. A câmara de São Paulo aprovou em 2007, uma lei para incentivar investimentos privados na região da Zona Leste, que é uma região de 4 milhões de pessoas, e é a área mais carente da cidade. Pergunta: como as prefeituras atraem investimentos privados em todas as cidades do mundo? Através de benefícios na diminuição de impostos. O Corinthians (como qualquer outra empresa pode fazer), se beneficiou da lei, apresentando um projeto com investimentos de 820 milhões de reais na região, que gerará só no período da Copa, 2 bilhões de recursos para o município, além dos impostos perpétuos com o funcionamento do estádio, geração de novos empregos, aquecimento econômico e possibilidade real de outros investimentos na região. A infraestrutura local, como transportes, hospitais, etc., também sofrerão investimentos.
  4. "O dinheiro público investido no estádio do Corinthians, poderia ser utilizado em educação, saúde, transporte, etc." - Esse é o argumento mais dramático. A Prefeitura não está dando dinheiro para o Corinthians. A parceira do Corinthians na construtução vai receber cartas de isenção de impostos, na medida que ela fez investimentos na obra. A conta é simples, a Prefeitura dá isenção de 420 milhões com as cartas, e o município gera 2 bilhões de reais só com a Copa, além de desfruturar de todos os impostos que serão gerados para o resto da vida pelo estádio. Se a Prefeitura não der o incentivo fiscal, deixa de investir 420 milhões, e perde 1,58 bilhões na Copa, e todas as outras riquezas futuras que o estádio vai gerar.
  5. "E as arquibancadas móveis que a Prefeitura vai investir no estádio?" - O Corinthians queria construir um estádio de 48 mil lugares. Para SP sediar a abertura da Copa, a cidade precisa de um estádio para 68 mil. Com estas arquibancadas, SP consegui atender os requisitos da FIFA, e esse investimento, é totalmente vantajoso para o município (como acima descrevi). Esta operação também é natural para as prefeituras, em SP principalmente, que realiza investimentos assim em vários eventos esportivos, como acontece todo ano, na F1 e na Fórmula Indy, por exemplo.
Mas vamos falar sério de novo, o Corinthians é o inimigo público número 1 do Brasil, está roubando a nação.......


O interessante é o que está acontecendo em Brasília. Quem será que vai pagar a construção do Mané Guarrincha e qual será o retorno do investimento para a população? O contribuinte vai pagar e o retorno será nenhum. E ainda o Governo Federal não vai fiscalizar os investimentos públicos no estádio, porque o recurso é totalmente do DF, e a União não tem jurisdição para interferir.
 
E depois, quem vai pagar a caríssima manutenção para manter uma obra de mais de 1 bilhão de reais, que vai receber um público médio de quase 2 mil pessoas no campeonato regional, uma vez por semana. Essa obra gera impostos para o governo do DF? NÃÃÃÃOOOOOOOOO. Só gastos.
 
E os outros estádios públicos? Vamos pegar o exemplo do Maracanã. Foi construído com dinheiro público, já foi reformado com dinheiro público várias vezes, e está sendo reformado novamente para a Copa. A reforma está orçada em quase 1 bilhão de reais. Um detalhe, a reforma para a Copa, não se adequa a realidade do futebol brasileiro, ou seja, quando a Copa acabar o estádio terá que passar por reformas de novo. Por exemplo, estádios da Copa não tem alambrados. Depois do Mundial os alambrados vão ter que ser colocados, ou você acha que um clássico Flamengo e Vasco pode acontecer sem as "grades".
Depois para a Olimpíada, reforma novamente.
 
É claro, que a tercerização da administratação dos estádios é uma solução para diminuir as despezas, mas não resolve o problema. O Botafogo, administrador do estádio público, Engenhão, não vai pagar a reforma do estádio para as Olimpíadas.
 
Mas o problema é o Itaquerão. Chama a polícia.
 
Brasileiro não é coerente em suas posições. Os "defensores da sociedade" criticam o Itaquerão, não porque a obra está sendo financiada com dinheiro público, mas por ser o estádio do Corinthians. Do Corinthians. É pura rivalidade clubística desmedida.
 
Imaginem um fato que aconteceu a pouco tempo. 2000 mil pessoas saírão nas ruas do Rio para protestar, porque a cidade vai sediar poucos jogos da Copa, na opinião deles. 
 
Não vi em nenhum canto do país, protestos contra a corrupção, contra a roubalheira das verbas desnecessárias para realizar a Copa, contra o excesso de impostos, etc., mas por esse "nobre" motivo, as pessoas se colocam neste papel. Lamentável. 

Outra comoção nacional que empesteou os meios de comunicaçao e a internet, muito maior que está manisfestação no Rio, foi o estádio do Corinthians. Até vereadores, sãopaulinos, entraram várias vezes na justiça para embargar a obra corintiana, e as várias ações tiveram a mesma sentença: a operação de isenção de impostos é totalmente legal, e a obra vai trazer grandes benefícios para a população da região. Vai trabalhar seus vereadores vagabundos!!!!!!
 
Já sei, o poder judiciário é controlado pelo o Corinthians, né? Esqueci. O Corinthians manda no Brasil.
 
Brasileiro se mata por causa de uma rivalidade clubística, mas não mexe um dedo, para se manisfestar pelas importantes e verdadeiras causas sociais.
 
Mas o Corinthians é o problema do Brasil. Não para mais de 30 milhões de pessoas, mas para o resto...........
 

quinta-feira, 1 de maio de 2014

São José, o justo.

Esposo da Virgem Maria e padrasto de Jesus. Ele figura na infância de Jesus conforme a narrativa de Mateus (1-2) e Lucas (1-2) e é descrito com um homem justo. Mateus descreve os pontos de vista de José e Lucas descreve a infancia de Jesus com José.

 
José é descendente da casa real de David. Noivo de Maria ele foi visitado por um anjo que informou a ele que ela estava com um filho e que o filho era do "Sagrado Espirito". Ele tomou Maria e a levou para Belem e estava presente no nascimento de Jesus. Avisado de novo, por um anjo das intenções do Rei Herodes José levou Maria e Jesus para o Egito. Eles só voltaram a Nazaré quando outro anjo, apareceu de novo a José, avisando da morte de Herodes. José devotou sua vida a criar Jesus e estava cuidando da ovelhas e de Maria quando os reis magos chegaram. Defendeu o bom nome de Maria e Jesus Deus o chamava de pai e queria ser conhecido como filho de José. Ele levou Maria e Jesus para visitar o templo e apresentar Jesus a Deus no templo. E juntamente com Maria ficou preocupado quando Jesus teria se perdido no templo, isto quando Jesus tinha 12 anos.
 
A ultima menção feita a José nas Sagradas Escrituras é quando procura por Jesus no Templo de Jerusalem. Os estudiosos das escrituras acreditam que ele já era um velho e morreu antes da Paixão de Cristo. Veneração especial a José começou na Igreja moderna ,onde escritos apócrifos passaram a relatar a sua história. O escritor Irlandês, do nono século Felire de Oengus comemora José, mas veneração a José só se espalhou no 15° seculo. Em 1479 ele foi colocado no calendário Romano com sua festa a ser celebrada em 19 de março. São Francisco de Assis e Santa Teresa dAvila ajudaram a espalhar a devoção, e em 1870 José foi declarado patrono universal da Igreja pelo Papa Pio IX. Em 1889 Papa Leão XIII o elevou a bem próximo da Virgem Maria e o Papa Benedito XV o declarou patrono da jjustiça social. O Papa Pio XII estabeleceu uma segunda festa para São José, a festa de "São José, o trabalhador" em primeiro de maio. Ele é considerado pelos devotos como padroeiro dos carpinteiros e na arte litúrgica da Igreja ele é mostrado como um homem velho com um lírio, e algumas vezes com Jesus ensinando a Ele o ofício de carpinteiro.

 
De acordo com um antiga lenda, Maria e as outras virgens do Templo receberam ordens para retornar a sua casa e se casarem. Quando a Virgem Maria recusou-se, os anciões oraram por instruções e uma voz no Santuário instruiu a eles a chamarem todos os homens que podiam se casar para a Casa de David e para ele deixarem seus cajados no altar do templo durante a noite. Nada aconteceu. Os anciões então chamaram também os viúvos, entre eles estava José. Quando o cajado de José foi encontrado na manhã seguinte coberto de fores (" as flores no bastão de Jesse") a ele foi dito para tomar a Virgem Maria como esposa e a guardasse para O Senhor. Muitas vezes o cajado florido é mostrado como um bastão de lírios.
        
Outra versão da vida de São José é relatada nos "Atos de São José" que é tido por muitos como sendo apócrifa, mas estudiosos como Origens, Euzébio e São Cipriano fazem referência em suas obras. Nesses "Atos" José  teria se casado jovem e só foi prometido a Maria quando já era viúvo. José teria tido, no primeiro casamento, duas filhas e quatro filhos sendo o caçula chamado Tiago, que Jesus considerava como irmão e com ele teria passado sua infancia e parte de sua adolecência. E Maria achou o menor Tiago na casa de seu pai e este estava triste pela perda de sua mãe e Maria o consolou e o criou.
 
Assim Maria é as vezes chamada de mãe de Tiago. Com o passar dos anos o velho José tinha uma idade bem avançada, mas nunca deixou de trabalhar, nunca sua vista falhou e nunca ficava sem rumo, tonto, e como um rapaz ele tinha vigor e suas pernas e braços permaneceram fortes e livres de nenhuma dor. Quando aproximou-se a sua hora um anjo do Senhor veio até ele e disse a ele que estava para morrer e ele levantou-se e foi para Jerusalém orar no santuário e disse: "O Deus autor da consolação, O Senhor da compaixão, ó Senhor de toda a raça humana, Deus de meu corpo e espirito, com súplica eu Vos reverencio e Ó Senhor e meu Deus, se agora meus dias terminam e eu preciso deixar este mundo, peço a Vós que envie o arcanjo Miguel, o príncipe dos Vosso anjos, e deixe ele ficar comigo e leve minha alma deste aflito corpo sem problemas e sem terror. E José foi enterrado pelos seus amigos e parentes sem o odor dos mortos. 
 

 Estaria explicado assim a grande polêmica do "irmão" Tiago que Jesus pediu para tomar conta de sua mãe Maria e deu origem  a várias discussões sobre a virgindade de Maria.
Desse modo os "Acts of Saint Joseph" teem o seu lado positivo e negativo e tem que se ter  cuidado para lê-los assim como os "Acts of Saint Paul".
Sua festa é celebrada no dia 19 de Março.