quarta-feira, 28 de março de 2012

Padre diz que Igreja Católica do Brasil não sabe enfrentar a pedofilia

Quarta-feira, 08 de Fevereiro de 2012 00h00min
Os bispos católicos do Brasil não têm nem ideia do que devem fazer para enfrentar os casos de clérigos pedófilos, afirmou nesta quarta-feira (8) o padre brasileiro Edênio Vale, no simpósio organizado pelo Vaticano sobre a pederastia realizado na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Vale, da congregação do Verbo Divino, analisou perante representantes de 110 conferências episcopais e 30 ordens religiosas a situação da Igreja no Brasil, onde "milhões de famílias vivem em condições de miséria e abandono, o que faz com que as crianças sejam mais vulneráveis a indivíduos sexualmente imaturos”, disse.

O religioso denunciou que enquanto os meios de comunicação brasileiros informam amplamente os casos de abusos sexuais a menores que ocorrem no mundo, reagem moderadamente em relação aos casos nacionais.

"Formulo a hipótese que essa relativa moderação no tocante aos escândalos dos sacerdotes católicos se deva ao fato que a pedofilia e a efebofilia são um comportamento culturalmente mais tolerado no Brasil que nos países da Europa e da América do Norte", afirmou.

Vale lembrou a considerável presença de prostituição infantil, sobretudo feminina, e o peso do turismo sexual em algumas capitais e cidades turísticas "que atraem europeus justamente pela facilidade que encontram aqui para a exploração sexual de menores".

Em relação à atuação da Igreja brasileira contra esses casos, Vale frisou que há uma "certa perplexidade" por parte dos bispos sobre o que é preciso fazer, acrescentando que outros críticos "mais severos" pensam que há uma falta de "vontade política por parte do clero em geral".
"Que eu saiba, a Igreja não está programando medidas e procedimentos efetivos em curto, médio ou longo prazo. Não está debatendo seriamente problemas de fundo. Há, isso sim, iniciativas pontuais de pessoas ou grupos, mas não uma resposta coerentemente pensada e posta em prática em termos gerais", continuou.

Edênio Vale comentou que no Brasil não há lugares onde acolher, recuperar e curar as vítimas, que, em geral, "são apenas retiradas de cena", denunciou.

Segundo o religioso, as medidas adotadas pelos bispos costumam ser improvisadas e paliativas.

"Não há centros especializados atender nem os sacerdotes, nem suas vítimas. É dada pouca atenção às consequências que têm os comportamentos dos abusadores para a comunidade na qual cometem os abusos", salientou.

Vale destacou que ultimamente, "perante a insistência" da Santa Sé, dá-se mais atenção à pederastia, "apesar das medidas parecem limitar-se mais à aplicação de sanções canônicas, como a suspensão das ordens".

O padre se mostrou convencido que no Brasil as penas de clérigos pedófilos trarão consigo consequências financeiras para as dioceses e para as congregações religiosas, como ocorreu em outros países, entre eles os Estados Unidos.

Vale concluiu dizendo que o problema do abuso sexual entre o clero católico "não tem nem terá uma solução fácil em curto prazo", e que suspeita que há "silêncios" e que "certas verdades não estão sendo ditas".

segunda-feira, 26 de março de 2012

18 de Maio: Vista Preto!


18 de Maio: Vista Preto! Todos contra a Pedofilia

Tudo começou na Grécia e tudo acabará na Grécia?

Leonardo Boff - Teólogo/Filósofo

Nossa civilização ocidental hoje mundializada tem sua origem histórica na Grécia do século VI antes de nossa era. Ruira o mundo do mito e da religião que era o eixo organizador da sociedade. Para pôr ordem àquele momento crítico fez-se, num lapso de pouco mais de 50 anos, uma das maiores criações intelectuais da humanidade. Surgiu a era da razão critica, que se expressou pela filosofia, pela política, pela democracia, pelo teatro, pela poesia e pela estética. Figuras exponenciais foram Sócrates, Platão, Aristóteles e os sofistas que gestaram a arquitetônica do saber, subjacente ao nosso paradigma civilizacional: foi Péricles, como governante à frente da democracia; foi Fídias, da estética elegante; foram os grandes autores das tragédias, como Sófocles, Eurípides e Ésquilo; foram os jogos olímpicos e outras manifestações culturais, que não cabe aqui referir.

Esse paradigma se caracteriza pelo predomínio da razão, que deixou para trás a percepção do Todo, o sentido da unidade da realidade que caracterizava os pensadores chamados pré-socráticos, os portadores do pensamento originário. Agora se introduzem os famosos dualismos: mundo-Deus, homem-natureza, razão-sensibilidade, teoria-prática. A razão criou a metafísica, que na compreensão de Heidegger faz de tudo objeto e se instaura como instância de poder sobre este objeto. O ser humano deixa de se sentir parte da natureza para se confrontar com ela e submetê-la ao projeto de sua vontade.

Este paradigma ganhou sua expressão acabada mais de mil anos depois, no século XVI, com os fundadores do paradigma moderno, Descartes, Newton, Bacon e outros. Com eles se consagrou a cosmovisão mecanicista e dualista: a natureza de um lado e o ser humano de outro, de frente e encima dela, como seu “mestre e dono” (Descartes); o ser humano coroa da criação, em função do qual tudo existe. Elaborou-se o ideal do progresso ilimitado que supõe a dominação da natureza, no pressuposto de que esse progresso poderia caminhar infinitamente na direção do futuro. Nos últimos decênios, a cobiça de acumular transformou tudo em mercadoria a ser negociada e consumida. Esquecemos que os bens e serviços da natureza são para todos e não podem ser apropriados apenas por alguns.

Depois de quatro séculos de vigência desta metafísica, quer dizer, deste modo de ser e de ver, verificamos que a natureza teve que pagar um preço alto para custear esse modelo de crescimento/desenvolvimento. Agora tocamos nos limites de suas possibilidades. A civilização técnico-científica chegou a um ponto em que ela pode pôr fim a si mesma, degradar profundamente a natureza, eliminar grande parte do sistema-vida e, eventualmente, erradicar a espécie humana. Seria a realização de umarmagedon ecológico-social.

Tudo começou há milênios, na Grécia. E agora parece terminar na Grécia, uma das primeiras vitimas do horror econômico, cujos banqueiros, para salvar seus ganhos, lançaram toda uma sociedade no desespero. Chegou à Irlanda, a Portugal, à Itália, podendo-se se estender à Espanha e à França e, quiçá, a todo o sistema mundial. Estamos assistindo à agonia de um paradigma milenar, que está, parece, encerrando sua trajetória histórica. Pode demorar ainda dezenas de anos, como um moribundo que resiste, mas o fim é previsível. Com seus recursos internos não tem condições de se reproduzir.

Temos que encontrar outro tipo de relação para com a natureza, outra forma de produzir e de consumir, desenvolvendo um sentido geral de interdependência, face à comunidade de vida, e de responsabilidade coletiva pelo nosso futuro comum. A não encetarmos esta conversão, ditaremos para nós mesmos o veredito de desaparecimento. Ou nos transformamos, ou desapareceremos.

Faço minhas as palavras de Celso Furtado, economista-pensador: ”Os homens de minha geração demonstraram que está ao alcance do engenho humano conduzir a humanidade ao suicídio. Espero que a nova geração comprove que também está ao alcance do homem abrir caminho de acesso a um mundo em que prevaleçam a compaixão, a felicidade, a beleza e a solidariedade”. Mas à condição de mudarmos de paradigma!

Leonardo Boff é autor de: “Opção-Terra. A solução para a Terra não cai do céu”, Record, Rio 2009.

sábado, 24 de março de 2012

Criança não é brinquedo


Todos podemos e devemos fazer a sua parte, sociedade, poder público, igrejas, empresa e escolas, todos somos responsáveis pela defesa da infância e juventude do nosso país.
Entâo faça a sua parte. mobilize uma campanha, fale com seus amigos, parentes e vizinhos sobre Pedofilia, abuso intrafamiliar, o que é, e como denunciar. Devemos quebrar o silêncio que impera na sociedade quando o assunto é violência sexual infantil, porque se falarmos sobre o tema, mais pessoas se sentirâo sensibilizadas e motivadas a tomar atitudes que venham salvar a vida de muitas crianças no nosso bairro, na escola, na cidade que moramos, no estado, e no país.
Faça a sua parte!!! Jesus conta com você!!!


sexta-feira, 23 de março de 2012

São José

José é um personagem célebre do Novo Testamento bíblico, marido da mãe de Jesus Cristo. Segundo a tradição cristã, nasceu em Belém da Judeia, no século I a.C., era pertencente à tribo de Judá e descendente do rei Davi de Israel. No catolicismo, ele é considerado um santo e chamado de São José.

Segundo a tradição, José foi designado por Deus para se casar com a jovem Maria, mãe de Jesus, que era uma das consagradas do Templo de Jerusalém, e passou a morar com ela e sua família em Nazaré, uma localidade da Galileia. Segundo a Bíblia, era carpinteiro de profissão, ofício que teria ensinado seu filho.

São José é um dos santos mais populares da Igreja Católica, tendo sido proclamado "protetor da Igreja Católica Romana"; por seu ofício, "padroeiro dos trabalhadores" e, pela fidelidade a sua esposa, como "padroeiro das famílias", sendo também padroeiro de muitas igrejas e lugares do mundo.

Oração à São José Operário

Para pedir emprego

Oh! meu querido Santo Trabalhador, que em vida fizestes a vontade de Deus através do trabalho, abra as portas do comércio para que eu possa conseguir um emprego.

Dai-me forças e coragem para não desistir no primeiro não.

Que eu tenha a disposição de Santa Teresa D'Ávila, a simplicidade de Maria de Nazaré, a força de Santo Antonio.

Orienta os nossos governantes para a distribuição dos bens do país.

Protege as nossas famílias para que não se deixem vencer pela seca, pelo medo, pela violência, pela falta de trabalho e dê esperança no Domingo da ressurreição.

Meu São José, padroeiro dos trabalhadores, não me deixe sem o pão de cada dia e sem prespectiva de um novo dia para minha família.

Prometo, com o dinheiro do meu futuro emprego, ajudar uma instituição de caridade a divulgar essa devoção.

Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

Leia um texto da Bíblia. Mt.2, 13-23 e reze uma Ave-Maria e um Pai-Nosso

300 cesta para Jesus

Meus agradecimentos a todos que ajudaram no Natal doando cestas básicas para ajudar as famílias carentes. Foram doadas 300 cestas básicas para as famílias e distribuídas no dia do Natal. Natal é tempo de doar presentes para o aniversariante, quem quiser ver Jesus tem que ver o irmão (ã), só assim estaremos sendo fieis à sua morte e ressureição.
Foram muitas as ajudas de todos os setores da nossa sociedade. Espero que Yhwh, nosso Deus cubra de bênçãos todos que nos ajudaram a ajudar, Jesus, Maria e José, a sagrada família seja sempre sua força.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Voce sabia

JOÃO
Há cinco personagens bíblicos com este nome que significa " o Senhor é favorável":
1. João Batista, filho de Zacarias e Isabel, precursor de Jesus (Lc 1,57-80). É de família aristocrático-sacerdotal (Lc 1,5-7; 1Cr 24,10; Nm 18,9). É o novo Elias (Mt 3,1-3; 11,14 e nota; Lc 1,17; Ml 3,1-2.23; Eclo 48,10). É o novo Samuel que deve ungir o Rei-Messias (Lc 1,7.15; 3,21s; 1Sm 1,5-11 e 16,12s). É o profeta-monge, separado do mundo (Mt 3,1; 11,7-10).
2. João Apóstolo e Evangelista, irmão de Tiago e filho de Zebedeu. A ele se atribui a autoria do Quarto Evangelho, de três epístolas e do Apocalipse. Junto com Pedro e Tiago forma o trio dos discípulos prediletos de Jesus (Mc 9,2; 14,33), chamados "colunas da Igreja" (Gl 2,9).
3. João Marcos, companheiro de Paulo e Barnabé na primeira viagem apostólica e autor do Segundo Evangelho (At 12,12.25).
4. João Hircano (135-104 aC), terceiro filho de Simão Macabeu (1Mc 16,19-24).
5. João ou Jonas, pai do apóstolo Pedro (Mt 16,17).

terça-feira, 6 de março de 2012

É tempo de mudar e a hora é agora


O povo defendendo um Padre que age correto, milagre, aleluia. Normalmente ficam do lado do clero que sempre acoberta os errados. Os olhos estão se abrindo. Parabéns!


Srs. Bispos, Sacerdotes, Diáconos e fiéis de nossa Igreja.
Amados da MAE.
Manifesto aqui meu repúdio a qualquer ataque contra a Igreja que pertenço, Igreja Católica Apostólica Romana, mesmo que este ataque venha de dentro dela própria.
É oportuno recordar que São João Maria Vianey, o Cura d'Ars, patrono dos Párocos do mundo inteiro e modelo de sacerdote, gastava todo seu tempo com atendimento em sua paróquia, chegava a ficar 18 horas por dia atendendo confissões, com oração do Santo Rosário e celebração da Santa Missa, o que em muitas paróquias já não vemos mais. Este é o modelo de Padre eleito pelo Vaticano. E se é modelo, é para que os demais o sigam.
Agora quando temos um Sacerdote como o Pe. Paulo Ricardo, que defende nossa Igreja com tanto afinco e santidade, vemos também por outro lado um levante das forças do mal a atacá-lo com tamanho ódio.
Quero dizer as autoridades eclesiais, que nossa Igreja esta se esvaziando porque não vemos mais refletido em muitos de nossos Padres a figura, autoridade e profetismo do Cristo Orante, Redentor e Libertador que leva a frente a Verdade do Evangelho. A Verdade que ao contrário do que pensam, amados senhores, não assusta e afasta os fiéis da Igreja, mas forma verdadeiros Cristãos, comprometidos com esta mesma Verdade. Precisamos de Profetas que anuciem Jesus Vivo e não de políticos nos altares de nossas Igrejas.
Peço aos milhares de contatos que receberão este e-mail que assinem este manifesto que segue abaixo e divulguem aos seus contatos, para formarmos uma corrente que tem a frente Nossa Senhora, Mãe e Rainha dos sacerdotes.
Eu sou a favor desta petição e já assinei,
Que Jesus abençoe a todos e Nossa Senhora da Guarda nos proteja.

--
Adrian Moraes Paz
MAE - Missão Arautos da Esperança
Com Maria, rezando pela restauração das famílias e santificação dos Sacerdotes
Belo Horizonte / MG
==========

Estão querendo calar mais um profeta. Acesse o link no meio do texto abaixo e ajude a divulgar. Vamos ajudar padre Paulo Ricardo!

URGENTE! Solidarize-se com padre Paulo Ricardo participando do abaixo-assinado em apoio às suas ações evangelizadoras na arquidiocese de Cuiabá (MT), na TV Canção Nova, na internet e em todas os encontros e retiros que ele participa como palestrante. Para isso basta acessar o sitehttp://www.peticoesonline.com/peticao/em-apoio-ao-pe-paulo-ricardo-de-azevedo-junior/395

Alvo de quatro páginas de uma carta aberta assinada por religiosos, membros do clero arquidiocesano de Cuiabá e integrantes de outras dioceses mato-grossenses, o sacerdote é “denunciado” por criticar padres pedófilos, corruptos e dados à prostituição no clube Marxismo Cultural, com sede em várias cidades brasileiras.

A carta é endereçada a bispos, padres e povo de Deus, a CNBB, ANP, CNP, CRB, Regional Oeste II Estado de Mato Grosso CNBB e após caluniar padre Paulo Ricardo por fazer “uso ideológico da batina”, “por ser polêmico” e “por não votar em Dilma Rousseff” – mas eu também não voltei, oras! -, arremata com autoridade nenhuma:


Um assassinato à liberdade de expressão, um assassinato aos direitos de cidadão e a seus direitos de sacerdote, um assassinato à vida pública de Pe. Paulo Ricardo. É o que pedem aqueles que assinam a carta aberta! E é direito deles fazê-lo, ainda que por meio de uma carta que divide a Igreja, que faz sofrer as pessoas que amam padre Paulo Ricardo. Uma carta que se empenha, tão simplesmente, em causar inimizades e intolerância entre os que amam Jesus Cristo!

Pra que isso? Fazer uma carta que foi pensada, trabalhada, que exigiu todo um esforço humano simplesmente para atacar um padre por motivo de opinião? O que que há com os autores dessa carta que não suportam quem pensa diferente deles? É bem sabido que a Igreja não é uma democracia, mas é um lar de liberdade: os que não a amam e que não concordam com ela têm toda liberdade para sair e fazer o que quiserem da própria vida.

O que me dói o coração é ver uma manifestação de ódio – porque escrever uma carta com quatro páginas falando mal de um padre só mesmo motivado por muito, muito, muito ódio – dessas contrária à liberdade de quem quer fazer o bem. Ora, o que tem de mais padre Paulo Ricardo não votar no PT? O que tem de mais ele dizer que padre usa batina e não camisa baby look? O que que tem, minha gente?

Qualquer um pode discordar de padre Paulo Ricardo, discordar de Cristo, discordar de Deus! Mas em nada uma discordância nos pode levar a discursos de ódio contra alguém. O que que é isso? Mas o que que é isso?

Nos solidarizemos com este homem que tanto bem tem feito a multidões que tem sede de conhecimento, justiça e verdade. Sabemos que ele é passível de erros, falhas e equívocos, mas isso não dá a ninguém o direito de promover ódio e divisões em nosso meio.

Acesse agora o site http://www.peticoesonline.com/peticao/em-apoio-ao-pe-paulo-ricardo-de-azevedo-junior/395 e vamos combater o ódio com o amor. Vamos mostrar que para cada página de ódio dessa carta aberta há milhares de pessoas amando este sacerdote, amando a liberdade de expressão e alegres por estarem na comunhão tão incentivada por padre Paulo Ricardo.

***