quinta-feira, 1 de junho de 2017

Referencial parabeniza ciganos pelo seu dia e agradece doação dos agentes da pastoral

 
Nesta quarta-feira, dia 24 de maio, é celebrado o Dia Nacional do Cigano. O bispo de Eunápolis (BA) e referencial da Pastoral dos Nômades, dom José Edson Santana Oliveira, escreveu uma mensagem parabenizando os ciganos pelo seu dia e agradecendo aos agentes de pastoral que dão a vida para levar cristo ao povo nômade. No texto, dom Edson ressalta os esforços para colocar os ciganos no coração da Igreja no Brasil, buscando caminhos para ajudar esta parcela da população a encontrar cada vez mais a sua dignidade, para que possa usufruir dos diretos que todo ser humano tem, independente de sua etnia.

A Pastoral dos Nômades apoia os esforços para mudar a percepção negativa dos ciganos, e ao mesmo tempo, busca favorecer um diálogo na dignidade, apoia o respeito as diferentes histórias e identidades, e ao mesmo tempo se une com o povo cigano nas suas lutas por direitos.

Dia Nacional dos Ciganos

Desde maio de 2005 comemora-se o Dia Nacional dos Ciganos no Brasil. A Pastoral dos Nômades quer parabenizar todo povo Cigano pelo seu dia. Quer também agradecer publicamente a todos os seus Agentes de Pastoral, que dão a vida para levar Cristo a estes nossos irmãos que estão a margem de sociedade e da Igreja.
 
Dia de festejarmos, de nos alegrarmos por esta data especial, mas, ao mesmo tempo, dia de convidarmos aos irmãos e irmãs, dentro e fora da Igreja, a refletir sobre a realidade Cigana no Brasil.
 
Devemos refletir sobre os vários séculos de anticiganismo que criaram condições inaceitáveis para os ciganos. Historicamente, eles foram marginalizados e vítimas de violência. Hoje, sofrem uma exclusão social constante e são obrigados a lutar pelo acesso à educação, moradia, emprego, acesso aos serviços sociais e assistência médica. Muitas vezes lhes são negados os direitos civis fundamentais, como certidões de nascimento e relativos direitos jurídicos.
 
Apesar de estarem no Brasil desde 1574, considerando alguns esforços de inclusão, eles ainda permanecem à margem de nossa consciência e de nossas sociedades.
 
A Pastoral dos Nômades apoia os esforços para mudar a percepção negativa dos ciganos, e ao mesmo tempo, busca favorecer um diálogo na dignidade, apoia o respeito as diferentes histórias e identidades, e ao mesmo tempo se une com o povo cigano nas suas lutas por direitos.
 
Para os católicos convidamos a sair em missão junto ao povo cigano, como nos orienta o Papa Francisco na exortação apostólica “Alegria do Evangelho” 23: “A intimidade da Igreja com Jesus é uma intimidade itinerante, e missionária”. […] Fiel ao modelo do Mestre, é vital que hoje a Igreja saia para anunciar o Evangelho a todos, em todos os lugares, em todas as ocasiões, sem demora, sem repugnâncias e sem medo. A alegria do Evangelho é para todo o povo, não se pode excluir ninguém; assim foi anunciada pelo anjo aos pastores de Belém: “Não temais, pois anuncio-vos uma grande alegria, que o será para todo o povo” (Lc 2, 10). O Apocalipse fala de “uma Boa-Nova de valor eterno para anunciar aos habitantes da terra: a todas as nações, tribos, línguas e povos” (Ap 14, 6).
 
Precisamos ir as periferias existenciais e envolver-se com a realidades destes nossos irmãos que estão que muitas vezes nas periferias das periferias, tanto existenciais como geográficas. Juntos, devemos nos arrepender dos pecados de discriminação e perseguição, e voltar a nos comprometer na obra difícil de reconciliação. Como nos disse o Papa Paulo VI em relação ao povo cigano, eles devem estar no coração da Igreja!
 
A Igreja do Brasil tem procurado viver esta experiência, buscando caminhos para ajudar os Ciganos a encontrarem cada vez mais a sua dignidade, para que possam usufruir dos diretos que todo ser humano tem, independente de sua etnia.
 
Que os Bens-Aventurados Zeferino e Emilia, a canastera, Mártires do Rosário, Ciganos e Mártires, ilumine a todos para que Deus possa abrir o nosso coração para acolher Jesus na pessoa do Cigano, como o irmão que Deus nos enviou para caminharmos juntos rumo à Terra Prometida, onde viveremos como uma grande família, e teremos “vida e vida em abundância” (Cf Jo 10,10).
 
Que Deus suscite no coração dos Católicos o empenho e as Orações para que não faltem vocações comprometidas com a Pastoral para os irmãos Nômades.
Eunápolis, 24 de Maio de 2017.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário