segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Lealdade e Fidelidade

Como sempre, começaremos pela Etimologia: “Esta palavra tem origem no termo legalis, que em latim remete para o conceito de lei. Inicialmente esta palavra designava alguém em quem era possível confiar e que cumpria as suas obrigações legais, ou seja, alguém que não falha com os seus compromissos, demonstrando responsabilidade, honestidade, retidão, honra e decência.”.
 
Vou tratar aqui sobre Lealdade e Fidelidade, são sinônimos, mas fidelidade está contida na Lealdade. Logo mais falo sobre fidelidade, mas agora irei conter-me apenas na primeira.
 
Não é de hoje, mas deve ter percebido que a lealdade se tornou algo mais raro que ouro, assim como tantas outras características do ser humano. Mas afinal de contas, o que é ser Leal?
 
Apesar da explicação do conceito, lealdade é até bem simples: Atitude leais.
 
 
Por exemplo, em uma conversa com seu amigo (irmão, nem que seja de coração) vocês contam segredos, relatos, momentos da vida que passou e não queria contar para mais ninguém. Naquele momento tens uma atitude leal, pois ambos confiam, ou seja, ninguém precisa dizer “guarda segredo” porque vocês simplesmente vão guardar, sem que seja necessário pedir que o faça. Outro exemplo seria de uma pessoa falando mal de você, algum amigo seu escuta, o que ele vai fazer? Se for leal a você ele irá lhe defender. Simples assim.
 
Ela vai além de sentimentos, ultrapassa eles. Não se ampara neles. Cuidar de uma pessoa quando gostamos é muito fácil. Cuidar de alguém quando os sentimentos que uniram os dois sumiram é que prova o quão leal somos.
 
Aquele termino de relacionamento em que, independente da forma que acabou, ambos preservam um sentimento de lealdade, ou seja, continuam cuidando um do outro, seja distante ou não. Claro, existem casos em que, independente do quão leal você seja a alguém, simplesmente não da para continua no mesmo “espaço” que aquela pessoa, mas justamente por ser leal, você não vai sair “difamando” ou desejando coisas de ruins para ela (e). Lealdade implica em maturidade.
 
Mesmo que você esteja com alguém que não possua o mesmo nível de maturidade que você, se estão juntos, não custa nada passar suas experiências para essa pessoa, cresçam juntos.
 
Aos meus amigos, poucos conquistaram a minha lealdade, posso contar nos dedos. Anos se passam, mas aqueles que têm um laço de lealdade comigo, quando conversamos, parece que foi ontem. Ela vai e volta, só podemos ser leais a quem é leal conosco. E isso eu deixei bem claro para cada um. E devo dizer, aqueles que a tem, jamais me desapontaram.
 
Lealdade consiste em atitude. Não apenas respeito, mas o compromisso que tens com aquilo/aquela pessoa. É uma qualidade que está se tornando cada vez mais rara, e a causa disso é pelo fato das pessoas não estarem tendo tanta consideração consigo mesmas e com o próximo. E não confunda com confiança, apesar de fazer parte, é mais “profunda” do que isso.
 
Ela também se dá no âmbito de “algo”, ou seja, ser leal a alguma coisa, uma ideia, uma Convicção, a sua família, um projeto e a você mesmo, isso quer dizer, Não abandonar aquilo do qual possui a sua lealdade, JAMAIS. Por isso escolha a dedo aquilo que vai ter a sua.
 
É eterna. E por isso é tão rara. Quando criamos essa relação, ela deixa a percepção de “certo ou errado”, pois, independe disso. Ou seja, se torna incontestável.
 
E justamente por isso que é uma via de mão dupla, pois não basta apenas você ter de alguém, esse alguém tem que ter de você, ela vai e volta.
 
Agora vamos entender um pouco o que seria a “Fidelidade” que falei mais cedo. Ela vem do Latim FIDELITAS, “fé, adesão”, de FIDELIS, “fiel, verdadeiro”, de FIDES, “fé”. Desta veio também nossa palavra “fiel”. Ou seja, você possui Fé em alguém, fé que aquela pessoa/causa não irá lhe trair – ao menos é sobre esse tipo de fidelidade que estou falando.
 
Ninguém nasce Leal/Fiel, você escolhe SER. E nessa escolha só temos duas alternativas, assim como nos números binários, zero ou um, ou você é ou não é. Não existe essa de “vou tentar ser fiel”. É uma escolha ser Leal a algo ou alguém, assim como é uma escolha ser Fiel e não trair.
 
A partir do momento que a sua Fidelidade depende da fidelidade de outra pessoa, você não é fiel a ninguém. O motivo é simples: Você assumiu um compromisso com aquela pessoa, entretanto, antes de assumir tal compromisso com alguém, precisa ter um consigo mesmo. Ou seja, antes de querer ser Fiel/Leal a alguém, precisa ser a você mesmo.
 
Quando pratica o ato da traição, independente do âmbito, na verdade, não traíste aquela pessoa/causa, mas sim a si mesmo, aos seus princípios.
 
Entrou em um relacionamento, e a pessoa traiu? Você se sente culpado? NÃO SINTA. Pois quem traiu aos seus princípios não foi você. Não devemos aceitar o sentimento de culpa pela atitude de outra pessoa em nos trair. Não fomos nós que quebramos nossos princípios. O sentimento de traição é inevitável, mas o de culpa pela atitude dela (e) não deve existir.
 
Relacionamentos verdadeiramente saudáveis não nascem da noite para o dia. Não queria conhecer uma pessoa em uma semana (mês) e no seguinte já querer ir para um relacionamento serio. Deem-se um tempo para se conhecerem, mostrar seus valores, quem vocês são um para o outro.
 
Não pule de um relacionamento para o outro esperando encontrar o amor da sua vida sem antes darem sequer a chance de realmente se conhecerem.  E não espere fidelidade de alguém que conheceu “ontem” e começou a namorar hoje. Nem conhece a pessoa ainda.
 
 
Eu posso bater no peito e falar: Nunca trai uma única namorada minha, ou qualquer mulher do qual estabeleci algum vinculo. Nem nenhum amigo do qual tem minha lealdade. Posso me dar o “luxo” de falar sobre tal assunto, pois o sigo com plena convicção.
 
Entenda de uma vez, ninguém nasce com o caráter pronto, ou seja, com características boas ou ruins, o caráter é um conjunto de escolhas e decisões dos quais você faz e que irão construindo quem és.
No que diz respeito à traição, acho que você deve ter essa dúvida, pois alguns dizem: dar segunda chance vai de caso em caso?
 
E eu lhes digo: pode até ir de caso em caso, mas foi uma única decisão: trair. E a resposta é: Não, não dê uma segunda chance. E seja bom o suficiente para não precisar de uma segunda. Ou seja, tenha caráter.
 
A única vez em que devemos perdoar é quando não houve escolha: Estupro. A mulher, não teve escolha, ela foi estuprada. Mas fora essa questão, os demais casos foram escolhas. A pessoa, por vontade própria, foi lá e traiu.
 
Ai vem àquela desculpa: “ela (ele) estava triste, carente, o parceiro (a) “faltou” com seus compromissos” Você teve coragem de ENTRAR por vontade própria em um relacionamento, de ir conhecer, beijar, transar com a pessoa, então tenha coragem de sentar e conversa com o individuo sobre o que está acontecendo. Ou simplesmente termina. Agora, ir trair para querer dar “lição” é pura e simplesmente uma falta de caráter e uma enorme COVARDIA.
 
Não irei entrar no mérito dos motivos que levam o homem ou a mulher à traição. Mas jamais esqueça, somos seres racionais, deixamos o “mundo animal” faz tempo. Usar de desculpas que os seus “instintos” são mais propensos a “fecundar” o maior número de mulheres possíveis é DESCULPA de quem não tem CARÁTER. Você não sabe se controlar, não? Ou será que a vontade de “saciar” seus desejos é maior que a sua HONRA?
 
Segunda chance?
 
Trair é uma escolha. Por mais infantil que a pessoa seja, ela tem noção de que é errado. Alguns podem até dizer: “Você diz que não precisa de segunda chance, pois nunca precisou de uma”… Eu respondo a vocês: Claro que eu NUNCA precisei de segunda chance, eu simplesmente ESCOLHI não trair. Não trair-me e consequentemente, não trair minha parceira.
 
A pessoa pode falar: “mas eu mudei/vou mudar/ nunca mais vou fazer isso” e um milhão de desculpas, e o que você deve responder: “Que bom que mudou, agora vá ser fiel com seu próximo companheiro (a), comigo teve a chance e perdeu”. E serve de lição para você: escolha melhor a próxima companheira, afinal, é essa a ideia, a próxima deve ser sempre melhor que a última.
 
Por mais que ame alguém, nenhum sentimento de amor na face da terra é demonstrado com traição. E muito menos de aceitar uma.
**
Texto de [Rafael Tobelem]
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário