segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Mestre Eckhart, filósofo alemão.

 
O mestre Eckart foi o primeiro filósofo em língua alemã , nascido em 1260 de uma nobre família da Turingia é o grande místico alemão e ainda que se movendo dentro do quadro das idéias neoplatonicas, um de seus pontos de vista tem grande relação com a escola espanhola. Dentro do ponto de vista de Eckart, antes de tudo deve-se considerar como o fim, a vida espiritual e o amor á Deus, porém sempre acompanhado pela ação do mundo, isso é, se apóia completamente na concepção paulina, segundo a qual a principal das tres virtudes é a caridade. O mestre eckart se forma em Paris cuja Universidade era o foco principal. Em 1304 começa para ele uma vida de pregações e viagens realizadas na Alemanha. Ensinou teologia em Estranburgo e Colonia, cidade ultima a qual morreu em 1327 e um ano depois surgiria uma bula papal condenando algumas proposições do mestre Eckart.
 
Para Eckart, o amor não alcança a Deus , antes da inteligencia e ver Deus significa pensar em Deus, porque como para Deus : ser e pensar, seriam a mesma coisa, pensar em Deus é ser Deus, donde para Eckart , os fenomenos místicos não se interpretam como uma participação com Deus, mas sim sendo o Deus. A união do amor com Deus,conceito este místico fundamental, significa para Eckart não só a união mas a unidade do SER.
 
Então a máxima aspiração mística de seu pensamento não é a afirmação da pessoa humana que reflete a grandeza da divindade, senão a destruição desta personalidade, sendo este o fim último do conhecimento.
 
Desta doutrina nasceu uma seita seguidora chamada “begardos” que exagerou tanto nas preposições de Eckart , que não tardou muito para ser dada como herética.
Também nasce uma mística ortodoxa a sombra de Eckart, sem que se possa negar que também poderia considerá-la heterodoxa, a dos seguidores e dominicanos: Tauler e Suso, que se aprofundaram nesta doutrina e deixaram marcas na história do misticismo.
 
 
Nesta tradição, porque Eckhart, embora cravado de balas inquisitórias em seu tempo – não sai de seus referenciais cristãos e da Tradição: ocorre, portanto, que o Mestre renano tem estatura que lhe é negada pela Igreja de Roma, sob os velhos ranços da suspeita da heresia… O problema da linguagem em Eckhart, entretanto, levanta problemas: como sói acontecer no idioma místico-negativo, tudo parece recender a panteísmo.Não há, todavia, uma linguagem positiva que possa driblar a noção aparente de panteísmo na mística que seja digna do nome: o texto principal de Eckhart, este também marcado pela interminável discussão acerca de sua autenticidade, orbita em torno de um Deus que somente é alcançado pelo ser humano na medida em que este, assemelhando-se a Deus mesmo, esvazia-se quenoticamente no desprendimento, na palavra abgeschiedenheit. Desprender-se é o movimento para o Nada.
 
Mestre Eckhart deixou muitas obras para o conhecimento daqueles que o buscam , atrvés de grandes mentes da humanidade, dentre suas obras encontra-se abaixo um trecho de: o diálogo com Deus.
“A Graça não é dada em troca de obras realizadas, nem como permuta por oferendas … A luz e as trevas não podem  De fato, Deus não visa seu proveito, porque é absolutamente livre em suas obras, agindo por amor e sem motivação. …”
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário