terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Embaixador russo morre após ser baleado em atentado na Turquia;

"Não esqueçam de Alepo, não esqueçam da Síria", gritou o atirador, que foi morto pela polícia de Ancara; autor dos disparos agia como segurança.
 Reprodução/Twitter
Atirador disparou contra o embaixador durante o discurso de abertura de uma exposição
 
O embaixador russo em Ancara, Andrei Kharlov, morreu a caminho do hospital, nesta segunda-feira (19), após ter sido baleado, durante o discurso de abertura de uma exposição de arte no Contemporary Arts Center, no centro da capital da Turquia.
 
Os disparos foram feitos em uma sala que tinha acesso restrito de público por um homem que entrou na sala aparentemente disfarçado de segurança e com documentação de policial. Em fotos tiradas durante o evento. homem aparece atrás do embaixador russo. No final do discurso, o atirador disparou por trás da autoridade russa, que caiu imediatamente no chão.
 
Após os disparos, o atirador gritou palavras de ódio contra a intervenção da Rússia na Síria. "Não esqueçam de Aleppo, não esqueçam da Síria", disse o jovem, que aparenta ter cerca de 30 anos. Há informações de que ele tenha dito também "nós morremos em Alepo, você morre aqui".
 
Em um vídeo da emissora NOS, que gravava o discurso do embaixador, é possível ouvir quando o atirador grita a frase "Allah Akbar" (Deus é Grande), usada comumente por terroristas do Estado Islâmico antes de realizar grandes atentados. 
 
Depois do ataque, a polícia de Ancara reagiu, atirando contra o criminoso, que foi morto. De acordo com os portais do país, o tiroteio entre o atirador e os policiais durou mais de 25 minutos.
 
Mais tarde, o homem que matou Andrei Karlov, foi identificado como um policial chamado Mert Altintas. Altintas, de 22 anos, fazia parte do departamento especial de Polícia de Ancara e tinha entrado na corporação em 2014. 
 
A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, definiu como um "ato terrorista" o assassinato do embaixador russo Andrei Karlov em um evento de arte em Ancara, na Turquia.
 
"Hoje é um dia trágico para a diplomacia russa. Hoje, em Ancara, em um evento público, o embaixador russo foi fatalmente ferido", disse a porta-voz. Zakharova ainda informou que o caso será levado, na próxima segunda-feira (26), ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. O ataque também deixou pelo menos outros três feridos.
 

Reação da Rússia e alerta para nova crise

 
Segundo a agência de notícias russa Sputnik, a Embaixada da Rússia na Turquia ainda não emitiu nenhuma nota oficial sobre o caso. O ataque, no entanto, ocorre a alguns dias da visita do ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, ir a Rússia.
 
O incidente pode voltar a gerar uma crise diplomática entre turcos e russos. No ano passado, o abatimento de um caça russo, que estava realizando ataques aéreos na Síria, fez com que os dois países emitissem uma série de restrições para seus cidadãos viajarem para ambos os países.
 
No entanto, após diversas tentativas, o presidente russo Vladimir Putin e seu homólogo turco Recep Tayyip Erdogan fizeram as pazes e a situação voltou a normalizar.
 
Por sua localização, a Turquia é peça fundamental na questão do conflito sírio. Na fronteira com o país de Bashar al-Assad, os turcos são fundamentais tanto para os russos como para a União Europeia.
 
Para os primeiros, apesar da rivalidade histórica, o presidente russo tenta obter alguma ajuda de Erdogan a Bashar al-Assad. Por sua vez, os europeus fecharam um acordo com Ancara na questão da crise migratória. Atualmente, 3,5 milhões de sírios moram em território turco e a UE se comprometeu a ajudar. Além de tudo isso, há ainda a questão dos separatistas curdos, que promovem uma série de atentados no país e são frequentes alvos de bombardeios de Erdogan.
 
* Com informações da Agência Ansa.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário