terça-feira, 26 de julho de 2016

Papa Francisco condena toda forma de ódio, ao referir-se ao ataque à Igreja na França

 
Na manhã desta terça-feira, 26, dois homens armados com facas entraram na Igreja de Saint-Etienne de Rouvray, perto de Rouen, na França, e tomaram como reféns o pároco, duas religiosas e dois fiéis durante a missa, por volta das 10h. De acordo com as informações já divulgadas, foi confirmada a morte do sacerdote. O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, declarou que o papa Francisco está informado sobre o caso e “participa da dor" e lamenta "o horror por esta violência absurda, condenando radicalmente toda forma de ódio”.
 
Em seu comunicado, Lombardi disse ser “uma notícia terrível, que se soma a uma série de violências que nestes dias já abalaram a todos, gerando imensa dor e preocupação”. O porta-voz afirmou que a Santa Sé acompanha a situação e aguarda novas informações “para tenta entender o que aconteceu”.
Segundo a Santa Sé, “o episódio abala ainda mais por ter ocorrido em uma igreja, local sagrado em que se anuncia o amor de Deus, onde foi barbaramente morto um sacerdote e envolvidos alguns fiéis”.
 
De acordo com notícia publicada pela Rádio Vaticano, um dos fiéis que participava da celebração teria fugido e alertado a polícia, que circundou e fechou imediatamente a área. “As informações são ainda fragmentárias, mas foi confirmado que um dos reféns, o pároco, foi degolado, e outro estaria entre a vida e a morte. Os dois criminosos foram mortos pela polícia”, diz o texto.
 
O presidente francês, François Hollande, e o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, estão a caminho da cidade.  
 
O arcebispo de Rouen, dom Dominique Lebrun, encontra-se na Polônia, com padres e grupos de jovens participantes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Cracóvia. Segundo fontes locais, ele foi informado e deve retornar com urgência à sua diocese.  
 
Por enquanto, não se conhecem os motivos do ataque. O inquérito ao caso foi já entregue à procuradoria antiterrorismo e à direção geral de segurança.
 
Ainda na declaração, padre Federico Lombardi manifestou a proximidade da Santa Sé à Igreja na França, à arquidiocese de Rouen, à comunidade atingida e ao povo francês.
Com informações da Rádio Vaticano e foto da AFP
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário