sábado, 7 de novembro de 2015

Desastre em Mariana: 5 perguntas sem resposta sobre rompimento de barragem

Rompimento de barragem liberou 'mar de lama' que soterrou diversas casas
 
O rompimento de duas barragens de uma mineradora liberou uma enxurrada de lama que causou grande destruição em um distrito de Mariana, em Minas Gerais, e deixou pelo menos um morto.
As barragens de Fundão e Santarém, da mineradora Samarco, entre os municípios de Mariana e Ouro Preto, se romperam na quinta-feira à tarde, e liberaram uma onda de lama que teria chegado a 2,5 m de altura.
 
Moradores relataram um cenário de devastação no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, o mais atingido, a cerca de 2 km do rompimento. Há relatos de desaparecidos e pessoas ilhadas, mas o número real de vítimas ainda é desconhecido.
 
Veja abaixo algumas perguntas ainda sem resposta sobre o desastre.
 

O que causou o rompimento?

 
A Samarco disse ter registrado dois pequenos tremores na área duas horas antes do rompimento, por volta das 16h20 de quinta-feira, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Mariana.
 
Não se sabe o que teria causado estes tremores - se seriam abalos sísmicos ou a força do próprio rompimento.
 
A empresa inicialmente informou que apenas uma barragem havia se rompido, a de Fundão, mas informou à noite que uma segunda barragem, a de Santarém, também sofreu ruptura.
 
Em comunicado divulgado em sua página no Facebook nesta sexta-feira, a empresa disse que "não há confirmação das causas e a completa extensão do ocorrido" e que "investigações e estudos apontarão as reais causas".
 
Segundo a Samarco, a última fiscalização das barragens pela Superintendência Regional de Regularização Ambiental (Supram) foi em julho deste ano e indicou que elas estavam em "totais condições de segurança".

A lama pode ser tóxica?

Lama eliminada por barragens devastou região de Bento Rodrigues
 
Sabe-se que as barragens continham água e rejeitos de minério de ferro. A maioria deste material é considerada de baixo potencial poluidor, segundo artigo da Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto.
 
A empresa disse nesta sexta que o rejeito é inerte. "Ele é composto, em sua maior parte, por sílica (areia) proveniente do beneficiamento do minério de ferro e não apresenta nenhum elemento químico que seja danoso à saúde".
 
Especialistas seriam enviados à área nesta sexta-feira para avaliar o material que vazou.

Há risco de novos rompimentos?

Estradas foram interrompidas e acesso a áreas é realizado apenas por helicópteros
 
O Corpo de Bombeiros estaria monitorando uma terceira barragem para verificar o risco de rompimento.
 
Não é a primeira vez que barragens se rompem em Minas Gerais. Em 2014, um acidente em Itabirito, a cerca de 60 km de Belo Horizonte, deixou três trabalhadores mortos.
 
Quantas pessoas podem ter sido afetadas?
 
Distrito de Bento Rodrigues, a cerca de 2km do acidente, foi o mais afetado
 
O distrito de Bento Rodrigues tem cerca de 600 moradores. Outros vilarejos foram atingidos pela lama e a estimativa é de que até 2 mil pessoas possam ter sido afetadas.
 
 Mas estes moradores foram alertados e tiveram tempo de buscarem abrigo. A Prefeitura de Mariana confirmou um morto, mas este número pode subir.
 
Por que informações de vítimas são conflitantes?
 
Sobreviventes foram socorridos na quinta-feira à noite, mas teme-se que haja mais feridos e soterrados
 
Alguns veículos de comunicação falaram em números mais altos de mortos - citando fontes não oficiais.
 
A incerteza se deve em parte ao acesso restrito ao distrito de Bento Rodrigues, realizado apenas por helicóptero. Imagens aéreas de TV mostraram casas completamente destruídas e soterradas por lama.
Moradores relataram haver vários desaparecidos e pessoas ilhadas. As operações aéreas de resgate seriam retomadas nesta manhã.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário