sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Desculpe, dona imprensa, mas o Papa não disse que os cães vão para o céu.

 
Uma declaração polêmica foi atribuída ao Santo Padre Francisco. Muitos veículos de imprensa afirmaram que o Papa reconhece que os animais possuem uma alma e, por isso, terão a salvação eterna. Para variar um pouco na incompetência, a grande mídia não se deu ao trabalho de checar a fonte e mandou brasa na redação.
 
Extra, extra: O Papa disse que os cães irão para o céu, anunciou os grandes jornais com trompetes. Os católicos, por sua vez, muito ocupados em fazer nada foram compraram a mentira da grande mídia. Afinal, quem precisa procurar no site da Santa Sé, onde se encontra os discursos oficiais do Papa, ou recorrer a mídia católica?!
 
O resultado foi uma tragédia: Todos os grandes veículos de comunicação repetiram que Francisco  teria dito a um garoto que todos os cães vão pra o céu!
 
Como não podia ser diferente, a revolucionária mensagem ocupou destaque em veículos do mundo todo, como o jornal americano New York Times, o francês El Pais, a rede britânica BBC  e a rede CNN . No Brasil, os gigantes da comunicação, como a revista Veja e o jornal Folha de São Paulo compraram a mesma história.
 
Muito bem, passada a poeira que o vendaval dos veículos de comunicação produziu, podemos dizer com convicção: FRANCISCO NÃO DISSE ISSO!
 
Como sabemos que Francisco não disse isso? Muito simples, indo até a raiz do problema. Rick Gladstone, repórter do jornal New York Times, atualizou seu artigo que deu origem a todo esse furacão midiático.  Gladstone admitiu publicamente que errou na compreensão das palavras do Papa e explicou que, diferente do que foi noticiado anteriormente, Sua Santidade não teria dito isso para consolar um garotinho triste pela perda de seu cachorro. Por fim, na breve nota que deu sobre o caso, ele acaba por confessar, embora de forma um tanto quanto sutil, que a mensagem foi distorcida.
O jornalista usou em sua defesa o fato de ter se baseado num suposto artigo do jornal italiano Corriere della Sera, onde o autor apenas sugeriu que Francisco poderia estar dizendo que exista vida após a morte também para os animais.
 
A nada sutil gafe jornalistica foi denunciada pelo jornal americano USA Today, que desqualificou o jornalismo de segundo nível produzido com a matéria. O USA Today chegou a classificar o incidente de “lenda urbana” e um “desastre de trem jornalístico”.
 
Para variar um pouco, os portais protestantes aproveitaram para inquerir ao Papa com argumentos de “grande” profundidade teológica como: “Onde está na Bíblia?” Enfim, tomemos cuidado, pois a imprensa está a serviço da desinformação. A grande mídia está aí para tirar as palavras da boca do Papa e por novas. O Papa da mídia é outro. Tomem cuidado.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário