sexta-feira, 16 de maio de 2014

Ópio do povo: O FUTEBOL.

Vamos falar do estádio mais caro da Copa: Mané Guarrincha em Brasília.
 
Capacidade: 70 mil pessoas
 
Estrutura: 
  • instalação de um sistema de broad-casting (equipamento de telecomunicação);
  • um túnel de 300 metros que ligará o estádio a um centro de convenções;
  • estacionamentos;
  • um heliponto;
  • obras de urbanização e paisagismo;
  • equipamentos de comunicação visual;
  • sistema de iluminação;
  • complexo viário; 
  • drenagens nas áreas externas;
  • cobertura retrátil.
Recursos: totalmente do Distrito Federal.

Custo da obra: R$ 890 milhões. Sendo que a construção do túnel, estacionamento, heliponto, sistema de transmissão, gramado, arquibancadas, sistema de drenagem, iluminação e projeto paisagístico da área externa, estão com os orçamentos indefinidos. Ou seja, o custo vai com certeza passar de 1 bilhão de reais.
 
Maiores clubes de Brasília: Brasiliense (está disputando a terceira divisão do campeonato brasileiro) e o Gama (está na quarta divisão do campeonato brasileiro).
 
Média de público do campeonato brasiliense em 2011: 1984,9 pessoas por partida
 
Curiosidade: Brasília disputou com São Paulo, a vaga para ser a sede da abertura da Copa. Essa possibilidade, sustentava a alegação para construção de um estádio para 70 mil pessoas na capital nacional, deixando aberta a alternativa de diminuir a capacidade para 40 mil pessoas, se Brasília perdesse a disputa para a capital paulista. Resultado: Brasília perdeu. Consequência: o Mané Guarrincha terá 70 mil pessoas.
 
Explicação do governador do DF: "Brasília tem uma das maiores rendas per capita do país, é um museu a céu aberto das obras de Oscar Niemeyer e tem vocação para o turismo".
 
Mas deixa isso para lá, vamos falar de coisas importantes. O problema não é o Mané Guarrincha, o Maracanã, Mineirão, Vivaldão de Manaus, Arena das Dunas em Natal, etc. O problema do Brasil é o Itaquerão, estádio do Corinthians.
 

Para a opinião pública o estádio corintiano será construído com dinheiro público, e isso é a maior falcatrua da história da nação brasileira.
 
Arrazoemos:

  1. "O terreno para o estádio do Corinthians foi cedido pela prefeitura de São Paulo ao clube na década de 80." - Essa prática é natural em quase todas as prefeituras do país, que doam terrenos para a abertura de empresas, clubes esportivos, projetos sociais, igrejas, etc., com intuito de promover progresso em uma determinada região da cidade, que possua no momento, um cenário de pouco desenvolvimento. Exemplos de estádios beneficiados pelos municípios: Morumbi, Parque Antartica, Canindé, Vila Belmiro, etc.
  2. "O BNDES está dando dinheiro para o Corinthians construir o estádio." - Essa é mais uma das criticas. O BNDES é um banco, e por ser um banco, faz empréstimos para empresas, clubes, outros bancos, etc. O Corinthians conseguiu um empréstimo do BNDES, assim como todos os outros estádios da Copa. Vai pagar o dinheiro, com juros. Tem fiador, avalista e deu garantias, como qualquer outra instituição. Não tem nada de irregular nesta operação.
  3. "A Prefeitura deu dinheiro para o Corinthians, através de incentivos fiscais." - Outra alegação massiça. A câmara de São Paulo aprovou em 2007, uma lei para incentivar investimentos privados na região da Zona Leste, que é uma região de 4 milhões de pessoas, e é a área mais carente da cidade. Pergunta: como as prefeituras atraem investimentos privados em todas as cidades do mundo? Através de benefícios na diminuição de impostos. O Corinthians (como qualquer outra empresa pode fazer), se beneficiou da lei, apresentando um projeto com investimentos de 820 milhões de reais na região, que gerará só no período da Copa, 2 bilhões de recursos para o município, além dos impostos perpétuos com o funcionamento do estádio, geração de novos empregos, aquecimento econômico e possibilidade real de outros investimentos na região. A infraestrutura local, como transportes, hospitais, etc., também sofrerão investimentos.
  4. "O dinheiro público investido no estádio do Corinthians, poderia ser utilizado em educação, saúde, transporte, etc." - Esse é o argumento mais dramático. A Prefeitura não está dando dinheiro para o Corinthians. A parceira do Corinthians na construtução vai receber cartas de isenção de impostos, na medida que ela fez investimentos na obra. A conta é simples, a Prefeitura dá isenção de 420 milhões com as cartas, e o município gera 2 bilhões de reais só com a Copa, além de desfruturar de todos os impostos que serão gerados para o resto da vida pelo estádio. Se a Prefeitura não der o incentivo fiscal, deixa de investir 420 milhões, e perde 1,58 bilhões na Copa, e todas as outras riquezas futuras que o estádio vai gerar.
  5. "E as arquibancadas móveis que a Prefeitura vai investir no estádio?" - O Corinthians queria construir um estádio de 48 mil lugares. Para SP sediar a abertura da Copa, a cidade precisa de um estádio para 68 mil. Com estas arquibancadas, SP consegui atender os requisitos da FIFA, e esse investimento, é totalmente vantajoso para o município (como acima descrevi). Esta operação também é natural para as prefeituras, em SP principalmente, que realiza investimentos assim em vários eventos esportivos, como acontece todo ano, na F1 e na Fórmula Indy, por exemplo.
Mas vamos falar sério de novo, o Corinthians é o inimigo público número 1 do Brasil, está roubando a nação.......


O interessante é o que está acontecendo em Brasília. Quem será que vai pagar a construção do Mané Guarrincha e qual será o retorno do investimento para a população? O contribuinte vai pagar e o retorno será nenhum. E ainda o Governo Federal não vai fiscalizar os investimentos públicos no estádio, porque o recurso é totalmente do DF, e a União não tem jurisdição para interferir.
 
E depois, quem vai pagar a caríssima manutenção para manter uma obra de mais de 1 bilhão de reais, que vai receber um público médio de quase 2 mil pessoas no campeonato regional, uma vez por semana. Essa obra gera impostos para o governo do DF? NÃÃÃÃOOOOOOOOO. Só gastos.
 
E os outros estádios públicos? Vamos pegar o exemplo do Maracanã. Foi construído com dinheiro público, já foi reformado com dinheiro público várias vezes, e está sendo reformado novamente para a Copa. A reforma está orçada em quase 1 bilhão de reais. Um detalhe, a reforma para a Copa, não se adequa a realidade do futebol brasileiro, ou seja, quando a Copa acabar o estádio terá que passar por reformas de novo. Por exemplo, estádios da Copa não tem alambrados. Depois do Mundial os alambrados vão ter que ser colocados, ou você acha que um clássico Flamengo e Vasco pode acontecer sem as "grades".
Depois para a Olimpíada, reforma novamente.
 
É claro, que a tercerização da administratação dos estádios é uma solução para diminuir as despezas, mas não resolve o problema. O Botafogo, administrador do estádio público, Engenhão, não vai pagar a reforma do estádio para as Olimpíadas.
 
Mas o problema é o Itaquerão. Chama a polícia.
 
Brasileiro não é coerente em suas posições. Os "defensores da sociedade" criticam o Itaquerão, não porque a obra está sendo financiada com dinheiro público, mas por ser o estádio do Corinthians. Do Corinthians. É pura rivalidade clubística desmedida.
 
Imaginem um fato que aconteceu a pouco tempo. 2000 mil pessoas saírão nas ruas do Rio para protestar, porque a cidade vai sediar poucos jogos da Copa, na opinião deles. 
 
Não vi em nenhum canto do país, protestos contra a corrupção, contra a roubalheira das verbas desnecessárias para realizar a Copa, contra o excesso de impostos, etc., mas por esse "nobre" motivo, as pessoas se colocam neste papel. Lamentável. 

Outra comoção nacional que empesteou os meios de comunicaçao e a internet, muito maior que está manisfestação no Rio, foi o estádio do Corinthians. Até vereadores, sãopaulinos, entraram várias vezes na justiça para embargar a obra corintiana, e as várias ações tiveram a mesma sentença: a operação de isenção de impostos é totalmente legal, e a obra vai trazer grandes benefícios para a população da região. Vai trabalhar seus vereadores vagabundos!!!!!!
 
Já sei, o poder judiciário é controlado pelo o Corinthians, né? Esqueci. O Corinthians manda no Brasil.
 
Brasileiro se mata por causa de uma rivalidade clubística, mas não mexe um dedo, para se manisfestar pelas importantes e verdadeiras causas sociais.
 
Mas o Corinthians é o problema do Brasil. Não para mais de 30 milhões de pessoas, mas para o resto...........
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário